ANÁLISIS DE LOS CONTENIDOS DE QUÍMICA IMPARTIDOS EN ESCUELAS SECUNDARIAS ESTADUALES DE LA MUNICIPALIDAD DE CONFRESA/MT

Palabras clave: Plan de estudios de química, Escuela Secundaria, pautas curriculares.

Resumen

ResumenEs necesario reflexionar sobre el currículo escolar, ya que permite comprender los aspectos estructurales de la enseñanza de la química. El presente estudio tuvo como objetivo analizar los contenidos impartidos en la disciplina de química en la escuela secundaria en un municipio de Mato Grosso y así verificar si cumplían con la legislación vigente y las especificidades locales. Fue una investigación documental, con un enfoque cualitativo, relacionada con los diarios de clase de esta disciplina en el año 2017, que se solicitó a los coordinadores pedagógicos y secretarios de las 8 con Escuela Secundaria estatales en Confresa/MT. El análisis de los documentos consideró las siguientes categorías: contextualización, interdisciplinariedad, historia de la ciencia y contenido con características innovadoras. Por lo tanto, se verificó en qué unidades escolares se cumplieron completamente las Directrices Curriculares de Mato Grosso, en las que hubo adiciones de contenido y si eran relevantes para la comunidad local. Aunque es el mismo contexto, se observó que el plan de estudios mostraba diferencias, con especificidades socioculturales, es decir, eran diferentes entre las unidades, incluso en cantidad y profundidad. Se cree que las concepciones pedagógicas de los docentes llevaron a la elaboración de diferentes planes, con enfoques más tradicionales y otros más innovadores.Palabras clave: Plan de estudios de química, Escuela Secundaria, pautas curriculares.  Analysis of the contents of Chemistry taught in High School of State Schools in the Municipality of Confresa/MT AbstractReflection on the school curriculum is necessary, as it allows understanding structural aspects of chemistry teaching. The present study aimed to analyze the contents taught in the discipline of chemistry in high school in a municipality in Mato Grosso and thus verify whether they met the current legislation and local specificities. It was a documentary research, with a qualitative approach, related to the class diaries of this discipline in the year 2017, which were requested to the pedagogical coordinators and secretaries of all 8 state schools with High School in Confresa/MT. The analysis of the documents considered the following categories: contextualization, interdisciplinarity, history of science and content with innovative characteristics. Thus, it was verified in which school units the Mato Grosso Curricular Guidelines were fully met, in which there was an increase in content and if they were relevant to the local community. Although it is the same context, it was noticed that the curriculum showed differences, with socio-cultural specificities, that is, they were different between the units, including in quantity and depth. It is believed that the pedagogical conceptions of teachers led to the elaboration of different plans, with more traditional and other more innovative approaches.Keywords: Chemistry Curriculum, High School, Curricular Guidelines.  Análise dos conteúdos de Química ministrados no Ensino Médio das Escolas Estaduais do Município de Confresa/MT ResumoA reflexão sobre o currículo escolar é necessária, pois permite compreender aspectos estruturais do ensino de química. O presente estudo teve como objetivo analisar os conteúdos ministrados na disciplina de química no Ensino Médio de um município mato-grossense e assim verificar se atenderam a legislação vigente e as especificidades locais. Tratou-se de uma pesquisa documental, com abordagem qualitativa, relativa aos diários de classe desta disciplina do ano de 2017, que foram solicitados aos coordenadores pedagógicos e secretários de todas as 8 escolas estaduais com Ensino Médio de Confresa/MT. A análise dos documentos considerou as seguintes categorias: contextualização, interdisciplinaridade, história da ciência e conteúdos com características inovadoras. Assim, foi verificado em quais unidades escolares as Orientações Curriculares de Mato Grosso foram plenamente atendidas, em quais houve acréscimos de conteúdos e se eles tinham relevância para a comunidade local. Embora seja um mesmo contexto, percebeu-se que o currículo apresentou diferenças, com especificidades socioculturais, ou seja, foram diferentes entre as unidades, inclusive na quantidade e profundidade.  Acredita-se que as concepções pedagógicas dos professores levaram a elaboração de planejamentos diferentes, com abordagens mais tradicionais e outras mais inovadoras. Palavras-chave: Currículo de química, Ensino Médio, Orientações Curriculares.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Lunara Lanna Lima, Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) Campus Confresa
Lunara Lanna Lima. Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) Campus Confresa; BrasilEspecialização em Ensino de Ciências pelo IFMT Campus Confresa. Graduação em Licenciatura em Ciências da Natureza com Habilitação em Química pelo IFMT Campus Confresa. Professora de química na Educação Básica (SEDUC/MT).
Marcelo Franco Leão, Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) Campus Confresa
Marcelo Franco Leão. marcelo.leao@cfs.ifmt.edu.br. http://orcid.org/0000-0002-9184-916XInstituto Federal de Mato Grosso (IFMT) Campus Confresa; BrasilDoutorado em Educação em Ciências (UFRGS). Mestre em Ensino (UNIVATES). Especialização em Orientação Educacional (Dom Alberto) e em Relações Raciais na Educação e na Sociedade Brasileira (UFMT). Graduação em Licenciatura em Química (UNISC) e em Física (UNEMAT). Professor do Departamento de Ensino do IFMT Campus Confresa. Membro do Grupo de Pesquisa Ensino de Ciências e Matemática no Baixo Araguaia (EnCiMa).

Citas

Bardin, L. (2012). Análise de conteúdo. Edições 70. São Paulo.

Brasil. (1999). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: MEC.

Brasil. (2002). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN +). Brasília: MEC.

Casteleins, V. L. (2011). Dificuldades e benefícios que o docente encontra ao realizar aulas práticas de química. In: Congresso Nacional De Educação – EDUCERE, 10. Curitiba. Anais eletrônicos. Disponível em: <https://educere.bruc.com.br/CD2011/pdf/6331_3949.pdf>. Acesso em: 19 de jun. 2020.

Chassot, A. (2000). Alfabetização Científica. Questões e Desafios para a educação. Coleção Educação Química. Ijuí: Editora UNIJUI.

Chassot, A. (1990). A educação no ensino de química. Ijuí: Livraria UNIJUÍ Editora.

Damasceno, H. C.; Wartha, E. J. & Silva, A. F. A. (2009). Conteúdos e Programas de Química no Ensino Médio: O que realmente se ensina nas escolas de Itabuna, região sul da Bahia. In: Anais do VII Enpec, 2009, Florianópolis. VII Encontro Nacional de Pesquisas em Educação em Ciências (VII Enpec).

Fachin, O. (2006). Fundamentos de metodologia. 5.ed. São Paulo: Saraiva.

Fazenda, I. C. A. (1998). Didática e Interdisciplinaridade. Campinas, São Paulo: Papirus.

Herber, J. (2007). Currículos de química: uma reflexão coletiva. Dissertação (Mestrado) - PUCRS - Faculdade de Física, Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Matemática Porto Alegre.

Libâneo, J. C. (1982). Tendências pedagógicas na prática escolar. Revista da ANDE, 6(1). Disponível em: <https://praxistecnologica.files.wordpress.com/2014/08/tendencias_pedagogicas_libaneo.pdf> Acesso em: 19 de jun de 2020.

Lopes, A. R. C. (1999). Conhecimento escolar: ciência e cotidiano. Rio de Janeiro: Editora da UERJ.

Lopes, A. C. (2002). Os parâmetros curriculares nacionais para o ensino médio e a submissão ao mundo produtivo: o caso do conceito de contextualização. Educação & Sociedade, Campinas, 23(80), p. 396.

Maceno, N. G. et al. (2011). A matriz de referência do ENEM 2009 e o desafio de recriar o currículo de química na educação básica. Química Nova na Escola, 33(3), p. 154.

Martins, A. M. (2000). Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio: Avaliação de Documento. Cadernos de Pesquisa, São Paulo: Fundação Carlos Chagas; Campinas: Autores Associados, 109(1), p. 67-87, mar.

Mato Grosso. (2010). Orientações curriculares: área de Ciências da Natureza e Matemática: Educação Básica. SEDUC/MT. Cuiabá: Defanti.

Moehlecke, S. (2012). O ensino médio e as novas diretrizes curriculares nacionais: entre recorrências e novas inquietações. Revista Brasileira de Educação, 17(49), p. 39-58, jan./abr.

Mortimer, E. F. et al. (2000). A proposta curricular de química do Estado de Minas Gerais: fundamentos e pressupostos. Revista Química Nova, 23(2), p. 273-283.

Oki, M. C. M. & Moradillo, E. F. (2008). O ensino de história da química: Contribuindo para a compreensão da natureza da ciência. Ciência & Educação, 14(1), p. 69.

Prado, I. G. A. (2000). O MEC e a reorganização curricular. São Paulo em Perspectiva, 14(1), p. 94-97, jan/mar.

Saviani, D. (2011). Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11th rev. Campinas: Autores Associados.

Silva, M. R. (2015). Currículo, ensino médio e BNCC Um cenário de disputas. Revista Retratos da Escola, Brasília, 9(17), p. 367-379, jul./dez.

Westphal, M.; Pinheiro, T. C. & Teixeira, C. da S. (2003). PCN-EM: Contextualização ou Recontextualização. In: Anais do IV Enpec, 2003, Baurú/SP. IV Encontro Nacional de Pesquisas em Educação em Ciências (IV Enpec).

Publicado
2020-12-27
Métricas
  • Visualizaciones del Artículo 80
  • PDF downloads: 18
Cómo citar
Lima, L. L., & Leão, M. F. (2020). ANÁLISIS DE LOS CONTENIDOS DE QUÍMICA IMPARTIDOS EN ESCUELAS SECUNDARIAS ESTADUALES DE LA MUNICIPALIDAD DE CONFRESA/MT. PARADIGMA, 83-111. https://doi.org/10.37618/PARADIGMA.1011-2251.0.p83-111.id987