PESQUISA FENOMENOLÓGICA EM EDUCAÇÃO: POSSIBILIDADES E DESAFIOS

Resumen

Este texto se configura más como un ensayo en relación con un tema, que como un artículo científico académico. En él son tratadas dos cuestiones de fondo relativas a la investigación fenomenológica en educación, destacándose la propia fenomenología, la educación y la investigación. De la fenomenología, se exponen comprensiones acerca de los siguientes asuntos: lo dado, la subjetividad, la intersubjetividad, y la objetividad, que son temas que se entrelazan cuando se busca comprender la educación y la investigación desde el abordaje fenomenológico. Además, también fue explicitado el entendimiento de la educación que subyace en sus procedimientos de pesquisa. Entre éstos se destaca la importancia de la descripción y los posibles modos de registrarla y analizarla.Palabras clave: Fenomenología, Educación, Investigación.Pesquisa fenomenológica em educação: possibilidades e desafiosResumoEste texto se configura mais como um ensaio a respeito do tema, do que como um artigo científico-acadêmico. Trata das questões de fundo que envolvem a pesquisa fenomenológica em educação, destacando a própria fenomenologia, a educação e a pesquisa. Da fenomenologia, expõe compreensões sobre o dado, percepção, subjetividade, intersubjetividade, objetividade temas que se entrelaçam quando se busca compreender educação e pesquisa nessa abordagem. Foi explicitado o entendimento de educação que subjaz os procedimentos de pesquisa. Sobre estes foi destacada a importância da descrição e modos possíveis de registrá-la e de analisá-la.Palavras-chave: Fenomenologia, Educação, Pesquisa.Phenomenological research in education: possibilities and challengesAbstract.This text is configured more as an essay on the theme, than as a scientific-academic article. It deals with important issues involving phenomenological research in education, highlighting phenomenology itself, education and research. From phenomenology, understandings on givenness, perception, subjectivity, intersubjectivity, objectivity are exposed. These are themes that intertwine with those of education and research assumed in this approach. The understanding of education that underlies research procedures was made explicit. Regarding these, the importance of description and possibible ways of recording and analysing it were hightlighted.Key-words: phenomenologuy; education; research.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Ales Bello, A. (2000). A Fenomenologia do Ser Humano. 1ª edição. Bauru: EDUSC.

Ales Bello, A. (2016). Fenomenologia-Psicopatologia-Neurociências: e a Consciência? In M.A.V. Bicudo & A.E.A. Antúnez (Org.), Fenomenologia, psicopatologia e neurociências: e a consciência? (p. 54-114). São Paulo: Universidade de São Paulo.

Ales Bello, Angela. (2001). “A formação da pessoa” In: Bicudo, M.A.B. & Belluzzo, R.C.B. (Orgs.). Formação Humana e Educação. Bauru: EDUSC.

Ales Bello, Angela. (2015). Pessoa e Comunidade. Comentários: Psicologia e Ciências do Espírito de Edith Stein. Belo Horizonte: Ed. Artesã. Baier, T. & Bicudo, M.A.V. “mathematics in african cultural creations: open horizons to the world of mathematics education and the formation of the person.” In Bicudo, M.A.V. (2020). Constitituion and Production of Mathematics in the Cyberspace. Cham, Switzerland: Springer International Publishing. Barbariz, T.A.M. (2017). A constituição do conhecimento matemático em um curso de matemática à distância. Tese de Doutorado, Instituto de Geociências e Ciências Exatas. Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Rio Claro Bernstein, Basil. (1975). Class,Codes and Control: theoretical studies towards a Sociology of Language. (1st published by Schcken Books). New York: Schoken Books.

Bicudo, M.A.V. “Constituing mathematical knowledge being-with-media in cyberspace”. In Bicudo, M.A.V. (2020). Constitituion and production of mathematics in the cyberspace. Cham, Switzerland: Springer International Publishing.

Bicudo, Maria A.V. (1999). Fenomenologia: Confrontos e Avanços. São Paulo: Cortez Editora.

Bicudo, Maria A.V. (2011). Pesquisa Qualitativa: segundo uma visão fenomenológica. São Paulo: Cortez.

Bicudo, Maria A.V. (2016). Fenomenologia e Direito. Cadernos da EMARF, (v.9, n.1, p.1-174, abr./set.). Rio de Janeiro.[s.n.]

Bondía, Jorge Larrosa. (2002). Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, (19), 20-28. Disponible en: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782002000100003&lng=en&nrm=iso. Accesado en: 03 May 2010 https://doi.org/10.1590/S1413-24782002000100003

Bronfenbrenner, Urie. (1971). Two Worlds of Childhood – USA and USSR. 1st edition. London: George Allen & Unwin Ltd.

Carr, D. (1970). “Translator’s Introduction.” In E. Husserl. The Crisis of European Sciences and Transcendental Phenomenology. 1ª edição. Evanston, Nothwestern University Press, p. XV – XLIII.

Derrida, J. (1994). A Voz e o Fenômeno. 1ª edição. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 117 p.

Detoni, A.R. (2000). Investigações acerca do espaço como um modo de existência e da geometria que ocorre no pré-reflexivo. Tese de Doutorado, Instituto de Geociências e Ciências Exatas. Universidade Estadual Paulista. Rio Claro. Heidegger, Martin. (1992). Que é uma coisa? Trad. Carlos Morujão. Lisboa: Edições 70.

Husserl, E. (2008). §73 Estudo da historicidade. Historicidade primeira. Anexo XXV ao § 73. In E. Husserl. 1ª edição. A Crise das Ciências Europeias e a Fenomenologia Transcendental. Uma Introdução à Filosofia Fenomenológica. Trad. Diogo Falcão ferrer. Lisboa: Phainomenon e Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, p. 9 – 559.

Husserl, E. (2002). Idee per una Fenomenologia pura e per uma filosofia fenomenológica. Trad. Enrico Filippini. Volume II. Torino: Einaudi.

Husserl, E. (2008). Anexo II ao §9ª. In E. Husserl. 1ª edição. A Crise das Ciências Europeias e a Fenomenologia Transcendental. Uma Introdução à Filosofia Fenomenológica. Trad. Diogo Falcão ferrer. Lisboa: Phainomenon e Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, p. 9 – 559. John Finley Scott '55 Reed Magazine. Reed College. Novembro de 2008. (Consultado em 26 de abril de 2016) Kundera, Millan. (1984). A insustentável leveza do ser. 1ª edição. São Paulo: Companhia das Letras.

Mead, G.H. (1934). Mind, Self, Society. Chicago: Chicago University Press.

Merleau-Ponty, Maurice. (1990). O primado da Percepção. Campinas: Papirus.

Moura, C.A.R. de. (1999). Crítica da Razão na Fenomenologia. 1ª edição. São Paulo: EDUSP.

Pinheiro, J.M.L. (2018). O movimento e a percepção do movimento em ambientes de Geometria Dinâmica. Tese de Doutorado, Instituto de Geociências e Ciências Exatas – Universidade Estadual Paulista, Rio Claro.

Silva, Marli Regina. (2013). Um estudo fenomenológico sobre o conhecimento geométrico. Tese de Doutorado, Instituto de Geociências e Ciências Exatas – Universidade Estadual Paulista, Rio Claro.

Publicado
2020-06-30
Métricas
  • Visualizaciones del Artículo 295
  • PDF downloads: 261
Cómo citar
Viggiani Bicudo, M. A. (2020). PESQUISA FENOMENOLÓGICA EM EDUCAÇÃO: POSSIBILIDADES E DESAFIOS. PARADIGMA, 30-56. https://doi.org/10.37618/PARADIGMA.1011-2251.2020.p30-56.id928