Uso de tecnologías educativas en la enseñanza de la ciencia y la biología: tendencias de investigación de acuerdo con las revistas nacionales

Palabras clave: Ciências, educação, tecnologia

Resumen

O avanço tecnológico expressivo manifestado nas últimas décadas gerou alterações no cenário educacional, principalmente após a promulgação do decreto no 6.300, que dispõe sobre o Programa Nacional de Tecnologia Educacional – ProInfo, em 2007. Deste modo, buscamos delimitar o cenário nacional vigente das implementações da Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) no ensino de Ciências Naturais mediante o levantamento bibliográfico de sete periódicos com Qualis (CAPES) A1 e A2, em Ensino, entre 2007 e 2019, a partir das 550 publicações encontradas com esta temática. Os critérios de avaliação foram: quantidade de publicações anuais por revista, quantidade de publicações por ano; nível de ensino; modalidades de ensino; disciplinas em que as TIC foram aplicadas; subáreas da biologia; enfoques temáticos e recursos tecnológicos utilizados. Embora a adesão de tecnologias possibilite promover a educação acessível, interdisciplinar e cativando a autonomia do aluno, sua implantação necessita infraestrutura, formação docente e recursos financeiros, adversidades apresentadas como grandes desafios diante de comunidades carentes e desigualdades presentes no Brasil atualmente. As pesquisas tratando-se de inclusão pautaram-se principalmente na surdez, sem ampliação a outras deficiências, embora a crescente ênfase de tecnologias didáticas aplicadas à Educação Ambiental apresentou resultados positivos.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Beatriz Grigio Bornia, Universidade Estadual do Paraná (Unespar), campus de Paranavaí.
Acadêmica de Ciências Biológicas da Unespar, Campus Paranavaí.  Bolsisita do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI). 
Marcia Regina Royer, Universidade Estadual do Paraná (Unespar), Campus de Paranavaí
Bióloga, doutora em agronomia. Professora do colegiado de Ciências Biológicas e do Mestrado em Ensino da Universidade Estadual do Paraná-Unespar.Coordenadora do Programa de Pós-graduação, Mestrado em Ensino: Formação Docente Interdisciplinar, da Unespar.

Citas

Anatel (2018). Relatório Técnico –Destaques na PNAD TIC. Publicação do IBGE de dezembro/2018. Brasília/DF. pp.1-34.

Andrade, M. J. D. de y Abílio, F. J. P. (2018). Alfabetização científica no ensino de biologia: Uma leitura fenomenológica de concepções docentes. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 18(2) 429-453.

Araújo, D. C. C. de, Verdeaux, M. de F. da S. y Cardoso, W. T. (2017). Uma proposta para a inclusão de tópicos de astronomia indígena brasileira nas aulas de Física do Ensino Médio. Ciência & Educação, 23 (4), 1035-1054.

Brasil (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 1 jan. 2019.

Brasil. (1996). LDB – Lei nº 9394/96. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional.

Brasil. (1999). Lei nº 9.795/1999. Dispõe sobre a Educação Ambiental e institui a Política Nacional de Educação Ambiental.

Brasil. (2006). Parâmetros curriculares nacionais: Ciências Naturais. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Média e Tecnológica.

Brasil. (2007). Decreto no 6300/2007. Dispõe sobre o Programa Nacional de Tecnologia Educacional-ProInfo.

Costa, L. S. O., Echeverría, A. R. y Ribeiro, F. L. (2017). O Processo de tomada de consciência e a formação de conceitos da educação ambiental na formação inicial de professores de ciências/química. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 17(3), 803-834.

Cruz, J. A. S., Arxer, E. A., Cunha, A. K. y Bizelli, J. L. (2018). Novas tecnologias, Trabalho e educação: Um debate interdisciplinar. Revista Internacional de Formação de Professores, 3(1), 99-108.

Duré, R. C. y Abílio, F. J. P. (2019). A formação inicial na concepção docente: Um estudo fenomenológico com professores de ciências biológicas. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, (19), 345-371.

Estevão, R. B. y Passos, G. O. (2015). O programa nacional de tecnologia educacional (PROINFO) no contexto da política educacional brasileira. Revista Holos, Ano 31, (1), 199-210.

Ferreira, O. R. y Voelzke, M. R. (2014). Educação a distância: A humanização da tecnologia numa perspectiva freireana. Revista de Produção Discente em Educação Matemática, 3(1), 137-149.

Filho, R. S. P. y Souza, I. C. F. de. (2017). Subjetividade e ensino de ciências: uma discussão sobre sexualidade na escola através do olhar docente. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 10(3), 321-343.

Frederico, F. T. y Gianotto, D. E. P. (2013). Tecnologia e ensino de ciências: possibilidades e desafios. ARETÉ-Revista Amazônica de Ensino de Ciências, 6(11), 65-82.

Freitas, E. B. de L. y Chassot, A. I. (2017). Obstáculos epistemológicos no uso de TIC no ensino de ciências. ARETÉ-Revista Amazônica de Ensino de Ciências, 10(22), 194-202.

Gonçalves, F. B. M., Andrade, R. de B. y Szmoski, R. M. (2019). Utilização da plataforma Moodle para avaliação na disciplina de Libras para ouvintes no ensino superior: um estudo de caso. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 12(1), 598-611.

Inep. (2018). Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Escolar 2018. MEC.

Inep. (2019). Instituto Nacional De Estudos E Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior 2018: notas estatísticas.

Junior, A. S., Silva, S. de C. R. da., Vaz, M. S. M. G. y Bittencourt, D. F. de. (2017). Acessibilidade em ambiente virtual de Aprendizagem. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 10(1), 55-64.

Maline, C., Sá, E. F. de, Maués, E. y Souza, A. de C. (2018). Ressignificação do Trabalho Docente ao Ensinar Ciências na Educação Infantil em uma Perspectiva Investigativa. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 13(3), 993-1024.

Marques, A. C. T. L., Marandino, M. (2019). Alfabetização científica e criança: análise de potencialidades de uma brinquedoteca. Ensaio-Pesquisa em Educação em Ciências, 21, 1-25.

Megid Neto, J. (Coord.). O ensino de Ciências no Brasil: catálogo analítico de teses e dissertações, 1972-1995. Campinas: UNICAMP/FE/CEDOC, 1998.

Mendes, E. da S., Rehfeldt, M. J. H. y Neide, I. G. (2017). Exploração de simulações como forma de estimular o aprendizado de conceitos da Cinemática Escalar. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 10(2), 1-29.

Monteiro, A. S. F. de A., Lopes, F. M. B. y Leão, A. M. dos A. C. (2019). Mobilizando os saberes docentes: Rumo à compreensão dos processos biológicos em uma perspectiva sistêmico-complexa. Revista Ensaio em Pesquisa em Ação em Ciências, (21), 1-22.

Moreira, M. A. (2018). O ensino de STEM (Ciência, Tecnologia, engenharia e matemática) no século XXI. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 11(2), 224-233.

Paulleti, F. y Catelli, F. (2018). Um estudo de caso: programas computacionais mediando o ensino de isomeria geométrica. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 11 (1), 250-269.

Paulo, P. R. N. F., Borges, M. N. y Delou, C. M. C. (2018). Produção de materiais didáticos acessíveis para o ensino de química orgânica inclusivo. ARETÉ-Revista Amazônica de Ensino de Ciências, 11(23), 1-10.

Pereira, B. O. y Valle, M. G. (2017). O discurso museológico e suas tipologias em um museu de história natural. Revista Ciência & Educação (Bauru), 23(4), 835-849.

Porto, M. de L. O. y Teixeira, P. M. M. (2016). A articulação da tríade CTS: Reflexões sobre uma proposta didática aplicada no contexto da EJA. Investigações em Ensino de Ciências, 21(1), 124-144.

Pugliese, R. M. (2017). O trabalho do professor de Física no ensino médio: um retrato da realidade, da vontade e da necessidade nos âmbitos socioeconômico e metodológico. Revista Ciência & Educação (Bauru), 23 (4), 963-978.

Raad, R. V., Matos, S. A. de y Coutinho, F. Â. (2018). Levantamento e análise da abordagem ciência, tecnologia e sociedade nas questões de biologia do ENEM 2009 a 2014. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 11(2), 1-36.

Reis, J. S. dos, Barbosa, A. J., Sousa, A. G., Melo, E. G. de, Rodrigues, M. A. O. y Souza, M. R. de. (2017). Evolução biológica: Saberes e aceitação de alunos do ensino médio de uma instituição educacional de Rondônia. ARETÉ-Revista Amazônica de Ensino de Ciências, 10(22), 49-60.

Romanowski, J. P. y Ens, R. T. (2006). As pesquisas denominadas do tipo "estado da arte" em educação. Revista Diálogo Educacional: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 6(19), 37-50.

Scheid, N. M. J. (2018). História da ciência na educação científica e tecnológica: contribuições e desafios. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 11(2), 443-458.

Trentin, M. A. S., Silva, M. y Rosa, C. T. W. da. (2018). Eletrodinâmica no ensino médio: uma sequência didática apoiada nas tecnologias e na experimentação. RENCIMA- Revista de Ensino de Ciências e Matemática, 9(5), 94-113.

Valadares, J. M. y Pernambuco, M. M. C. A. (2018). Criatividade e silêncio: encontros e desencontros entre os saberes tradicionais e o conhecimento científico em um curso de licenciatura indígena na Universidade Federal de Minas Gerais. Revista Ciência & Educação (Bauru), 24(4), 819-835.

Publicado
2020-09-03
Métricas
  • Visualizaciones del Artículo 77
  • PDF downloads: 60
Cómo citar
Bornia, B. G., & Royer, M. R. (2020). Uso de tecnologías educativas en la enseñanza de la ciencia y la biología: tendencias de investigación de acuerdo con las revistas nacionales. PARADIGMA, 27-52. https://doi.org/10.37618/PARADIGMA.1011-2251.0.p27-52.id847