EDUCACIÓN AMBIENTAL EN LA ESCUELA SECUNDARIA: DESDE LAS CONCEPCIONES PREVIAS DE LOS ESTUDIANTES, LA CONSTRUCCIÓN DE UN HORNO SOLAR COMO PRÁCTICA EDUCATIVA

Palabras clave: Educação Ambiental, meio ambiente, forno solar

Resumen

La Educación Ambiental (EA) impregna todas las áreas del conocimiento y se puede trabajar dediferentes maneras y en diferentes espacios con el objetivo de contribuir a la formación de laspersonas para que vivan con el medio ambiente de manera equilibrada y sostenible. El objetivodel estudio fue analizar las percepciones de los estudiantes de una clase de secundaria en unaescuela pública en Mato Grosso sobre EA, así como desarrollar una actividad experimentalcomo una acción práctica sostenible. Esta es una investigación descriptiva y exploratoria, conun enfoque cualitativo, realizada en 2019, en una escuela pública en Confresa / MT. En el estudioparticiparon 21 estudiantes y utilizó cuestionarios abiertos para recopilar datos, aplicados antesy después de la práctica experimental. La actividad práctica consistió en construir y probar unhorno solar desarrollado con materiales de bajo costo. Los resultados revelaron las percepcionessobre el concepto de EA y el medio ambiente, los problemas ambientales a ctuales, laparticipación en acciones ambientales, la evaluación de la intervención realizada, lascontribuciones al pensamiento crítico y el aprendizaje construido. Por lo tanto, la construccióndel horno solar fue capaz de sensibilizar a los estudiantes, mostrándoles una práctica fácil, baratay rápida que se puede tomar como una solución a los problemas ambientalesPalabras clave: Educación ambiental, medio ambiente, horno solarEducação Ambiental no Ensino Médio: Das concepções prévias dos estudantes a construção de um forno solar como prática educativaResumoA Educação Ambiental (EA) perpassa todas as áreas do conhecimento e pode ser trabalhada dediferentes maneiras e diversos espaços visando contribuir na formação de pessoas para queconvivam com o ambiente de forma equilibrada e sustentável. O objetivo do estudo foi analisaras percepções dos estudantes de uma turma de Ensino Médio de uma escola pública matogrossense acerca da EA, bem como desenvolver uma atividade experimental como ação práticasustentável. Trata se de uma pesquisa descritiva e exploratória, com abordagem qualitativa,realizada em 2019, em uma escola pública de Confresa/MT. O estudo envolveu 21 estudantes eutilizou questionários abertos para coletar de dados, aplicados antes e após a práticaexperimental. A atividade prática consistiu na construção e testagem de um forno solardesenvolvido com materiais de baixo custo. Os resultados revelaram as percepções sobre o conceito de EA e meio ambiente, problemas ambientais atuais, participação em açõesambientais, avaliação da intervenção realizada, contribuições para o pensamento crítico eaprendizados construídos. Logo, a construção do forno solar foi capaz de sensibilizar osestudantes , demonstrando a estes uma prática fácil, barata e rápida que pode ser tomada comosolução para os problemas ambientais .Palavras chave: Educação Ambiental, meio ambiente, forno solarEnvironmental Education in High School: From the students' previous conceptions the construction of a solar oven as an educational practiceAbstractEnvironmental Education (EE ) permeates all areas of knowledge and can be worked in differentways and in different spaces aiming to contribute to the formation of people so that they livewith the environment in a balanc ed and sustainable way. The aim of the study was to analyzethe perceptions of students from a high school class in a public school in Mato Grosso aboutE E , as well as to develop an experimental activity as a sustainable practical action. This is adescrip tive and exploratory research, with a qualitative approach, conducted in 2019, in a publicschool in Confresa / MT. The study involved 21 students and used open questionnaires to collectdata, applied before and after the experimental practice. The practic al activity consisted ofbuilding and testing a solar oven developed with low cost materials. The results revealed theperceptions about the concept of E E and the environment, current environmental problems,participation in environmental actions, evaluation of the intervention performed, contributionsto critical thinking and constructed learning. Therefore, the construction of the solar oven wasable to sensitize students, demonstrating to them an easy, cheap and quick practice that can betaken as a solution to environmental problems.Keywords:Environmental education environment , solar oven

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Weslaine da Silva Santos, Instituto Federal de Mato Grosso
Graduação em Licenciatura em Biologia pelo Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT). Técnica em Alimentos pelo IFMT Campus Confresa. Articuladora de Núcleo local na ONG ENGAJAMUNDO. Representante da sociedade civil no Conselho municipal de meio ambiente de Confresa (CONSEMMA). Atualmente é auxiliar legislativo - Câmara Municipal de Confresa.
Marcelo Franco Leão, Instituto Federal de Mato Grosso
Doutorado em Educação em Ciências (UFRGS). Mestre em Ensino (UNIVATES). Especialização em Orientação Educacional (Dom Alberto) e em Relações Raciais na Educação e na Sociedade Brasileira (UFMT). Graduação em Licenciatura em Química (UNISC) e em Física (UNEMAT). Professor do Departamento de Ensino do IFMT Campus Confresa. Membro do Grupo de Pesquisa Ensino de Ciências e Matemática no Baixo Araguaia (EnCiMa).

Citas

Abreu, M. R. M. et al. (2018). Práticas metodológicas para a análise da percepção ambiental dos alunos do IFRN Campus Pau dos Ferros, Rio Grande do Norte, Brasil. Revista GeoTemas. Pau dos Ferros, Brasil, (8) 3, p. 57-79, out./dez. 2018. Disponível em: http://periodicos.uern.br/index.php/geotemas/article/view/3244. Acesso em: 03/09/2019.

Barboza, L.A.S.; Brasil, D.S.B; Conceição, G.S. (2016). Environmental perception of 6th and 9th grade students from a municipal school in Redenção, Pará State, Brazil/Percepção ambiental dos alunos do 6° e do 9° anos de uma escola pública municipal de Redenção, Estado do Pará, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude, p. 11-20.

Bardin, L. (2012). Análise de conteúdo. Edições 70. São Paulo.

Belfort, M. R. (2012). Geografia e Educação Ambiental: Uma abordagem introdutória. 2012. p.30. Trabalho de Conclusão de Curso - Departamento de Geografia: Habilitação Bacharel, Universidade Estadual de Londrina. Londrina/PR.

Braga, C.F.G.V.; Braga, L.V. (2012). Desafios da energia no Brasil: panorama regulatório da produção e comercialização do biodiesel. CADERNOS EBAPE.BR. (10) 3, opinião 4. Rio de Janeiro, 751-762.

Brasil (2013). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de currículos e educação integral. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC/SEB/DICEI.

Brasil (2002). Resolução Conama nº 306, de 5 de julho de 2002. Estabelece os requisitos mínimos e o termo de referência para realização de auditorias ambientais. Diário Oficial da União, Brasilia, DF, nº 138, seção 1, 75-76 Disponível em: <http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=306> Acesso em 20 de dezembro de 2019.

Brasil (2004). Norma Brasileira ABNT NBR ISO 14001, de 2004. Sistemas da gestão ambiental Requisitos com orientações para uso. Disponível em: <http://www.madeira.ufpr.br/disciplinasghislaine/iso-14001-2004.pdf> Acesso em: 20 de dezembro de 2019.

Brasil (1999). Lei n 9.795 de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF. (28).

Brasil (2012). Lei n. 12.651 de 25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa. Diário Oficial da União, Brasília, DF.

Brasil (2005). Ministério do meio ambiente. Manual de Educação para o consumo sustentável, 2005. Disponível: < https://www.mma.gov.br/estruturas/educamb/_arquivos/consumo_sustentavel.pdf> Acesso em: 05 de fev. 2020.

Brasil (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm> Acesso em: 21 de dezembro de 2019.

Brito, J. O. (2007). O uso energético da madeira. Estudos avançados. São Paulo, (21) 59, 185-193.

Cartaxo, B. R. (2018). Sustentabilidade e educação: papel do cidadão levando-se em consideração as ideias de Amartya Sen. Revista de Direito e Sustentabilidade. Porto Alegre, (4) 2, 40-58.

Carvalho, J. A.; Siqueira, M. N. (2017). A Educação Ambiental como ferramenta na conscientização de adolescentes sobre a importância de recuperação de áreas degradadas. Monografia, Faculdade de Engenharia da UniVR. Rio Verde – GO. Junho.

Carvalho, J. F. (2014). Energia e sociedade. Estudos avançados, online (28) 82, 25-39. Disponível em < http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142014000300003>. Acesso em: 05 de fev. 2020.

Chianca, M. S. (2019). Estudo de um forno solar fabricado com gabinetes de computador em desuso. 2019. 95p. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Mecânica) – Centro de Tecnologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019. Disponível em: < http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/8866>.

Cuba, M. A. (2010). Educação Ambiental nas escolas. Revista de Educação, Cultura e Comunicação, (1) 2, 23-31.

Da Silva, F. S.; Terán, A. F. (2018). Práticas pedagógicas na educação ambiental com estudantes do ensino fundamental. Experiências em Ensino de Ciências. Manaus – AM, (13) 5, 339-351.

De Oliveira, E. M.; Palheta, G. S; Seabra, L. B. (2017). O Ensino de Ciências e Energias Renováveis: proposta metodológica do forno solar. Ciência e Natura, (39) 1, 99-107.

Effting, T.F. (2007). Educação ambiental nas escolas públicas: realidade e desafios. Monografia, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Marachel Cândido Rondon (PR), 2007. 90p. Monografia (Pós Graduação em “LatuSensu” Planejamento Para o Desenvolvimento Sustentável) – Centro de Ciências Agrárias, Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Campus de Marechal Cândido Rondon.

Fragoso, E.; Nascimento, E. C. M. (2018). A Educação Ambiental no Ensino e na Prática Escolar da Escola Estadual Cândido Mariano–Aquidauana/MS. Ambiente & Educação-Revista de Educação Ambiental, (23) 1, 161-184. Disponível em: < DOI: https://doi.org/10.14295/ambeduc.v23i1.6988 >. Acesso em: 05 de fev. 2020.

Gallego, R. C.; et al. (2014). A utilização do forno solar como instrumento de investigação na educação ambiental. REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, [S.l.], 189-200, maio. Disponível em: https://doi.org/10.14295/remea.v0i0.4444>.

Gil, A. C. (2010). Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. (6. ed.). São Paulo: Atlas.

Gonçalves, A, F, L.; Schuck, M, A.; Senne, S, C.; Trindade, T, V. (2017). A educação ambiental em escolas municipais: um estudo de caso na escola municipal Cei Ritta Anna de Cássia. Memorial TCC Caderno da Graduação, (3) 1, 481-499.

Kondrat, H. Maciel, M. D. (2013). Educação ambiental para a escola básica: contribuições para o desenvolvimento da cidadania e da sustentabilidade. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, (18) 55, 825-846.

Loureiro, C. F. B. (2006). Complexidade e dialética: contribuições à práxis política e emancipatória em educação ambiental. Revista Educação e Sociedade, Campinas, vol. (27) 94, 131-152.

Lopes, W.; Bispo, W.; Carvalho, J. (2009). Educação Ambiental nas Escolas: Uma estratégia de Mudança Efetiva.

Paulo, R. F. (2011). O desenvolvimento industrial e o crescimento populacional como fatores geradores do impacto ambiental. Veredas do Direito: Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável, Belo Horizonte, (7), 13-14.

Ribeiro, W. C. (2009). Meio ambiente e educação ambiental: as percepções dos docentes do curso de geografia da PUC Minas – Unidade Coração Eucarístico. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação e aprovada em 26 de fevereiro de 2009. Belo Horizonte/MG.

Sarmento, J. S. (2015). Construção e análise de um forno solar como uma atividade prática não formal no ensino de física. 2015. 76 f. Dissertação de mestrado – Universidade Federal do Ceará, Centro de Ciências e Matemática, Fortaleza, 2015. Área de concentração: Ensino de Ciências e Matemática.

Sartori, S.; Latronico, F.; Campos, L. M. S. (2014). Sustentabilidade e desenvolvimento sustentável: uma taxonomia no campo da literatura. Ambiente & sociedade, online, (17) 1, 01-22.

Sato, M. (1997). Educação para o ambiente amazônico. 245p., il. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de São Carlos. Disponível em: http://www.lapa.ufscar.br/pdf/tese_doutorado_michele_sato.pdf. Acesso em: 29/08/2019.

Silva, N. F. da; Ruffino, P. H. P. (2016). Educação ambiental crítica para a conservação da biodiversidade da fauna silvestre: uma ação participativa junto ao Projeto Flor da Idade, Flor da Cidade (Itirapina-São Paulo). Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, (97) 247, 637-656.

Silva, D. et al. (2016). A importância da sustentabilidade para a sobrevivência das empresas. Empreendedorismo, Gestão e Negócios, Pirassununga, SP, (5) 5, 74-79.

Silva, E. M. C. (2010). A Educação Ambiental no Contexto da Educação Infantil. Programa de Pós-Graduação, Universidade Cândido Mendes. Pontalina.

Tozoni, M. F. C. R. (2006). Temas ambientais como "temas geradores": contribuições para uma metodologia educativa ambiental crítica, transformadora e emancipatória. Revista Educar, Curitiba, (27), 93-110.

Publicado
2020-06-30
Métricas
  • Visualizaciones del Artículo 68
  • PDF downloads: 41
Cómo citar
Santos, W. da S., & Leão, M. F. (2020). EDUCACIÓN AMBIENTAL EN LA ESCUELA SECUNDARIA: DESDE LAS CONCEPCIONES PREVIAS DE LOS ESTUDIANTES, LA CONSTRUCCIÓN DE UN HORNO SOLAR COMO PRÁCTICA EDUCATIVA. PARADIGMA, 437-464. https://doi.org/10.37618/PARADIGMA.1011-2251.2020.p437-464.id814