LA MOVILIZACIÓN DE COMPETENCIAS Y EL DESARROLLO COGNITIVO UNIVERSAL-BILATERAL DEL APRENDIZAJE EN LA ENSEÑANZA DE LAS CIENCIASDEL APRENDIZAJE EN LA ENSEÑANZA DE LAS CIENCIAS

Palabras clave: Aprender por la investigación. Dicumba. Movilización de Competencias.

Resumen

Este artículo tiene como objetivos, presentar una metodología de enseñanza llamada DICUMBA (Desarrollo Cognitivo Universal-Bilateral del Aprendizaje), y reflexionar sobre cómo el aprendizaje a través de la investigación centrada en el estudiante (Aprender pela Pesquisa Centrada no Aluno, APCA), cuando se desarrolla a partir del interés y la inserción activa de éste en el aula, permite la movilización de habilidades para la formación crítica y ética. En esta investigación cualitativa que se desarrolló en cinco pasos, participaron 3 maestros y 85 estudiantes. Para la recolección de información, además de la observación participante, se utilizó un cuestionario de validación. Al final, después de un análisis detallado de las respuestas al cuestionario dadas por los estudiantes y docentes en el cuestionario, así como de la interpretación empírica y transversal de la investigación desarrollada por los estudiantes a la luz del APCA, queda claro que el Desarrollo Cognitivo Universal-Bilateral del Aprendizaje (DICUMBA) en la educación científica se configura como una acción que motiva y estimula a los estudiantes a enseñar, haciéndolos participar en múltiples acciones que requieren la movilización de habilidades para organizar diferentes niveles del dominio cognitivo.Palabras clave: Aprendizaje por investigación. DICUMBA. Movilización de habilidades.MOBILIZAÇÃO DE COMPETÊNCIAS E O DESENVOLVIMENTO COGNITIVO UNIVERSAL-BILATERAL DA APRENDIZAGEM NO ENSINO DE CIÊNCIASResumoEste artigo tem como objetivos apresentar um método de aprendizagem chamado DICUMBA (Desenvolvimento Cognitivo Universal-Bilateral da Aprendizagem) e refletir sobre como Aprender pela Pesquisa Centrada no Aluno (APCA), quando se desenvolve a partir dos interesses e da sua inserção ativa na sala de aula, permite a mobilização de habilidades para a própria formação crítica e ética. Nesta pesquisa qualitativa, realizada em cinco etapas, participaram 3 professores e 85 alunos. Para a coleta de informações, além da observação participante, foi utilizado um questionário de validação. Por fim, após uma análise detalhada das respostas dadas pelos alunos e professores ao questionário, bem como a interpretação empírica e transversal da pesquisa realizada pelos alunos à luz da APCA, fica claro que o Desenvolvimento Cognitivo Universal-Bilateral da Aprendizagem (DICUMBA) no ensino de ciências se configura como uma ação que motiva e estimula os alunos a aprender, participando de múltiplas ações que exigem a mobilização de habilidades para organizar diferentes níveis de domínio cognitivo.Palavras-chave: Aprendizagem em pesquisa. DICUMBA Mobilização de habilidades.MOBILIZATION OF COMPETENCES AND THE DEVELOPMENT COGNITIVE UNIVERSAL-BILATERAL LEARNING IN SCIENCE TEACHINGAbstractThis article aims to present a learning method called DICUMBA (Universal-Bilateral Cognitive Development of Learning) and reflect on how to Learn through Student-Centered Research (APCA), when it develops from the interests and its active insertion in the classroom, allows the mobilization of skills for critical and ethical training. In this qualitative research, carried out in five stages, 3 teachers and 85 students participated. For the collection of information, in addition to participant observation, a validation questionnaire was used. Finally, after a detailed analysis of the answers given by the students and teachers to the questionnaire, as well as the empirical and transversal interpretation of the research carried out by the students in the light of the APCA, it is clear that the Universal-Bilateral Cognitive Development of Learning (DICUMBA) in teaching of sciences is configured as an action that motivates and encourages students to learn, participating in multiple actions that require the mobilization of skills to organize different levels of cognitive domain.Keywords: Research learning. DICUMBA Mobilization of skills.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Everton Bedin, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
Pós-doutorado e Doutorado em Educação em Ciências (UFRGS). Mestre em Educação Química (UFU). Especialização em Gestão Educacional (UFSM) e em Tecnologias da Informação e Comunicação (FURG). Graduado em Licenciatura em Química (UPF). Professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR).
José Claudio Del Pino, UNIVERSIDADE DO VALE DO TAQUARI
Pós-doutorado em Ensino de Química (Universidade de Aveiro). Doutorado em Biomassa e Mestrado em Química (UFRGS). Graduação em Química (UFRGS). Professor da Universidade do Vale do Taquari (UNIVATES).

Citas

Alves, P. (2005). Dos objetivos às competências: implicações para a avaliação de um programa de formação de professores. In: Morgado, J. C., & Alves, M. P. (Orgs.), Mudanças educativas e curriculares e os educadores/professores? Actas do Colóquio sobre Formação de professores. Braga: Universidade do Minho: Centro de Investigação em Educação - Departamento de Currículo e Tecnologia Educativa, pp. 29-42.

Bedin, E. (2017). O uso das tecnologias como processo cooperativo: uma avaliação docente-discente nas redes sociais. Revista Areté| Revista Amazônica de Ensino de Ciências, 10(22), 166-178. Recuperado de: http://periodicos.uea.edu.br/index.php/arete/article/view/640/608

Bedin, E. (2019). Filme, experiência e tecnologia no ensino de ciências química: uma sequência didática. Revista de Educação, Ciências e Matemática, 9(1). Recuperado de: http://publicacoes.unigranrio.edu.br/index.php/recm/article/view/4280

Bedin, E., & Del Pino, J. (2018a). A metodologia DICUMBA como uma tempestade de possibilidades para o desenvolvimento do ensino de Química. Revista Brasileira De Ensino De Ciências E Matemática, 1(1). Recuperado de: https://doi.org/10.5335/rbecm.v1i1.8479

Bedin, E., & Del Pino, J. C. (2018b). DICUMBA–o aprender pela pesquisa em sala de aula: os saberes científicos de química no contexto sociocultural do aluno. Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de las Ciencias: Góndola, Ens Aprend Cienc, 13(2), 338-352. Recuperado de: https://doi.org/10.14483/23464712.13055

Bedin, E., & Del Pino, J. C. (2019a). DICUMBA: uma proposta metodológica de ensino a partir da pesquisa em sala de aula. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências (Belo Horizonte), 21. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/1983-21172019210103

Bedin, E., & Del Pino, J. C. (2019b). Das Incertezas às Certezas da Pesquisa não Arbitrária em Sala De Aula Via Metodologia DICUMBA. Currículo sem Fronteiras, 19(3), 1358-1378. Recuperado de: https://www.curriculosemfronteiras.org/vol19iss3articles/bedin-delpino.pdf

Benítez, G. S. (2010). Las estrategias de aprendizaje a través del componente lúdico. marcoELE. Revista de Didáctica Español Lengua Extranjera, (11*), 1-68. Recuperado de: https://www.redalyc.org/pdf/921/92152537016.pdf

Bernstein, B. (2003). A pedagogização do conhecimento: estudos sobre recontextualização. Cadernos de pesquisa, (120), 75-110. Recuperado de: http://www.scielo.br/pdf/cp/n120/a06n120.pdf

Brasil. (018). Base Nacional Comum Curricular. Educação é a Base: Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação, Conselho Nacional de Secretários de Educação, União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação.

Brasil. (1996). Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF. p. 1-31. Recuperado de: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/tvescola/leis/lein9394.pdf.

Brasil. (1999). Parecer CNE/CEB n ° 16/99. Trata das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional de Nível Técnico. Brasília: Ministério da Educação.

Brasil. (2000). Ministério da Educação (MEC), Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Parte III - Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC/Semtec, 2000.

Brasil. (2001). Parecer CNE/CP 9/2001. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília: Ministério da Educação.

Brasil. (2002). Ministério da Educação (MEC), Secretaria de Educação Média e Tecnológica (Semtec). PCN + Ensino médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais – Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC/Semtec.

Cruz, C. (2001). Competências e habilidades: da proposta à prática. São Paulo: Edições Loyola.

Da Cunha, M. I. (2003). Pesquisa e pós-graduação: o sentido político e pedagógico da formação. Cadernos de Educação, (21). Recuperado de: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/caduc/article/view/1463

Ens, R. T. (2006). O significado da pesquisa segundo professores formadores. In: 29 Reunião da ANPED, Caxumba, Minas Gerais. Recuperado de: http://29reuniao.anped.org.br/trabalhos/posteres/GT08-1746--Int.pdf

Filho, F. D. S., Cunha, F. P., Carvalho, F. D. S., & Soares, M. (2011). A importância do uso de recursos didáticos alternativos no ensino de química: Uma abordagem sobre novas metodologias. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer, Goiânia, 7(12), 166-172.

Gil, A. C. (1999). Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas.

Gil, A. C. (2008). Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas.

Hair, J. F., Babin, B., Money, A. H., & Samuel, P. (2005). Fundamentos métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman.

Marconi. M. A., & Lakatos, E. M. (1999). Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Masetto, M. T. (2013). Mediação Pedagógica e o Uso da Tecnologia. In Moran, J. M., Masetto, M. T., & Behrens, M. A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 21.ed. Campinas: Papirus. p. 141-171.

Nass, S., & Fischer, J. (016). Tecnologias da informação e comunicação (TIC): possibilidade de uma aprendizagem significativa. Curitiba: Appris.

Parasuraman, A. (1991). Marketing research. 2. ed. Addison Wesley Publishing Company.

Rangel, F. Z., Bedin, E., & Del Pino, J. C. (2019). DICUMBA-uma metodologia para o Ensino de Química: avaliação, tendência e perspectiva. XII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – XIIENPEC Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN. Recuperado de: http://abrapecnet.org.br/enpec/xii-enpec/anais/resumos/1/R0598-1.pdf

Rey, B., Carette, V., Defrance, A., & Kahn, S. (2005). As competências na escola. Aprendizagem e avaliação. Vila Nova de Gaia, Portugal: Gailivro.

Ricardo, E. C. (2010). Discussão acerca do ensino por competências: problemas e alternativas. Cadernos de pesquisa, 40(140), 605-628. Recuperado de: http://www.scielo.br/pdf/cp/v40n140/a1540140.pdf

Zabala, A., & Arnau, L. (2010). Como aprender e ensinar competências. Porto Alegre: Artmed.

Publicado
2020-06-30
Métricas
  • Visualizaciones del Artículo 126
  • PDF downloads: 46
Cómo citar
Bedin, E., & Del Pino, J. C. (2020). LA MOVILIZACIÓN DE COMPETENCIAS Y EL DESARROLLO COGNITIVO UNIVERSAL-BILATERAL DEL APRENDIZAJE EN LA ENSEÑANZA DE LAS CIENCIASDEL APRENDIZAJE EN LA ENSEÑANZA DE LAS CIENCIAS. PARADIGMA, 360-383. https://doi.org/10.37618/PARADIGMA.1011-2251.2020.p360-383.id804