LITERATURA INFANTIL Y GÉNEROS TEXTUALES: LA CONTRIBUCIÓN DE LAS FÁBULAS A LA ENSEÑANZA DE LA CIENCIA EM LOS PRIMEROS AÑOS DE LA EDUCACIÓN FUNDAMENTAL

Palabras clave: Enseñanza de las Ciencias. Literatura Infantil. Transposición Didáctica. Fábulas.

Resumen

La presente investigación buscó articular a la literatura infantil algunas de las características de la enseñanza de animales y ciencias basadas en referencias teóricas de literatura y educación antropológica. Por lo tanto, para el desarrollo de la investigación, partimos de la siguiente indagación: "¿Cómo pueden los maestros asociar la enseñanza de las ciencias com las narraciones literarias trabajadas em el aula?" Con este fin, se llevó a cabo una investigación empírica y cualitativa enfatizando las contribuciones de las fábulas a la enseñanza de la ciencia em los primeros años de la Educación Primaria. Teniendo em cuenta el papel lúdico de este género textual, sus características estimulantes para la literatura y las transposiciones imaginarias y didácticas se llevaron a cabo com la interpretación de esta narrativa como facilitador de la enseñanza de las ciencias em la serie inicial de Educación Básica. Se determinaron dos fábulas para el desarrollo del estudio: "El león y el ratón" y "La cigarra y las hormigas", ambas por Esopo y transcritas por el escritor francés Jean de La Fontaine. Los datos cualitativos fueron analizados y recopilados de la representación artística a través del dibujo del niño y sus consideraciones sobre el estudio. El análisis de los datos cualitativos y los resultados obtenidos muestran que los estudiantes se sorprendieron al encontrar contenido de ciencias en textos característicos de la Lengua Portuguesa.Palabras clave: Enseñanza de las Ciencias. Literatura Infantil. Transposición Didáctica. Fábulas.Literatura Infantil e Gêneros Textuais: A Contribuição das Fábulas para o Ensino de Ciências nos Anos Iniciais do Ensino FundamentalResumoA presente pesquisa buscou articular à literatura infantil algumas das características dos animais e do ensino de Ciências embasadas em referenciais teóricos da literatura e do ensino antropológico. Assim, para o desenvolvimento da pesquisa, partimos da seguinte indagação: "De que forma os professores podem associar o ensino de Ciências com narrativas literárias trabalhadas em sala de aula?" Para tanto, realizou-se uma pesquisa empírica e qualitativa enfatizando as contribuições das fábulas para o ensino de Ciências nos anos Iniciais do Ensino Fundamental. Considerando o papel lúdico deste gênero textual, suas características estimulantes à literatura e ao imaginário, foram realizadas transposições didáticas com a interpretação desta narrativa como meio facilitador para o ensino de Ciências nas séries iniciais da Educação Básica. Foram determinadas duas fábulas para o desenvolvimento do estudo: “O Leão e o Ratinho” e “A Cigarra e as Formigas”, ambas de Esopo e transcritas pelo escritor francês Jean de La Fontaine. Os dados qualitativos foram analisados e coletados a partir da representação artística por meio do desenho da criança e suas considerações acerca do estudo realizado. A análise dos dados qualitativos e os resultados obtidos denotam que os alunos se surpreenderam por encontrar conteúdos de ciências em textos característicos da Língua Portuguesa.Palavras chave: Ensino de Ciências. Literatura Infantil. Transposição Didática. Fábulas.Children's Literature and Text Genres: The Contribution of Fables to Science Teaching in the Early Years of Elementary SchoolAbstractThe present research sought to articulate children's literature with some characteristics of animals and Science teaching based on theoretical references from literature and anthropological teaching. Thus, for the development of the research, we start from the following question: "How can teachers associate science teaching with literary narratives worked in the classroom?" To this end, an empirical and qualitative research was carried out emphasizing the contributions of fables to the Science teaching in the early years of elementary school. Considering the playful role of this text genre, its stimulating characteristics to literature and the imaginary, didactic transpositions were carried out with the interpretation of this type of narrative as a facilitator of Science teaching in the initial grades of basic education. Two fables were determined for the development of the study: “The Lion and the Mouse” and “The grasshopper and the Ant”, both by Aesop and transcribed by the French writer Jean de La Fontaine. Qualitative data were analyzed and collected from the artistic representation through the child's drawing and their considerations about the study. The analysis of the qualitative data and the results obtained show that students were surprised to find science content in characteristic texts from Portuguese Language.Keywords: Science teaching. Children's literature. Didactic Transposition. Fables.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Letícia Ferreira, Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR) /Paranavaí, Brasil.
Mestranda em Ensino (PPIFOR - Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu da Universidade Estadual do Paraná - UNESPAR, campus de Paranavaí - PR). Formado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Paraná - Campus Paranavaí e professor da Rede de Ensino Fundamental I. Endereço para correspondência: leticiah.ferreira2010@gmail.com. Código ORCID: https://orcid.org/0000-0002-9365-3478. Paranacity / Brasil.
Lucila Akiko Nagashima, Universidade Estadual do Paraná - Campus de Paranavaí /Brasil ( Unespar)
Professor Associado da UNESPAR. Professor e orientador do PPIFOR - Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu da Universidade Estadual do Paraná - UNESPAR, campus de Paranavaí. Doutora em Engenharia Química (UEM - Universidade Estadual de Maringá). E-mail: lucilanagashima@uol.com.br . Código ORCID: https://orcid.org/0000-0001-8197-9668 . Paranavaí / Brasil.

Citas

ABÍLIO, E. C., & MATTOS, M. S. (2006). Letramento e leitura da literatura. Práticas de Leitura e Escrita (pp. 84-89). Brasília, Brasil: Ministério da Educação.

BACCARO, F. B., FEITOSA, R. M., FERNANDEZ, F., FERNANDES, I. O., IZZO, T. J., & SOLAR, R. (2015). Guia para os gêneros de formigas do Brasil. Manaus, Brasil: INPA.

BAGNO, M. (2006). Fábulas fabulosas. Práticas de Leitura e Escrita (p. 50-52). Brasília, Brasil: Ministério da Educação. obs

BILCE, J. M., SILVA, S. A. A., GALDÊNCIO, R. E. L., ROMERA, A. F., BRITES, A., & MARTINS, E. (2011, Dezembro 14). Contribuição ao conhecimento da fauna de formigas (Hymenoptera, Formicidae) em bordas de fragmentos florestais do norte do Mato Grosso, Brasil. Revista de Ciências Agro-Ambientais, Alta Floresta-MT, v (9), pp. 191-209.

BRAVERMAN, H. (1977). Trabalho e capital Monopolista: a degradação do trabalho no século XX. Tradução: Nathanael C. Caixeiro. Rio de Janeiro, Brasil: Zahar.

BRASIL, Base nacional comum curricular: educação é a base. (2018). Brasília, DF: Ministério da Educação. Recuperado de: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 15 set. 2019.

CAMENIETZKI, C. Z. (1988). O saber impotente: estudo da noção de ciência na obra infantil de Monteiro Lobato. [Dissertação de Mestrado]. Instituto de Estudos Avançados em Educação. Departamento de Filosofia da Educação - Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, Brasil.

DUARTE, A. S. (2015). O lugar da fábula em vida de Esopo. Estudos clássicos e seus desdobramentos: artigos em homenagem à professora Maria Celeste Consolim Dezotti. (pp. 17-29). São Paulo, Brasil: Cultura Acadêmica.

FAVARETTO, J. A., & MERCADANTE, C. (2005). Biologia: único. São Paulo, Brasil: Moderna.

FERREIRA, S. (1998). Imaginação e Linguagem no desenho da criança. Campinas, SP, Brasil: Papirus.

FREINET, C. (2004). Pedagogia do Bom Senso. São Paulo, Brasil: Martins Fontes.

FONTAINE, J. L. (1998). Fábulas de Esopo. São Paulo, Brasil: Scipione.

LEONTIEV, A. (2004). O desenvolvimento do Psiquismo. São Paulo, Brasil: Centauro.

LIMA, R. M. R., & ROSA L. R. L. (2012, Maio). O uso das fábulas no ensino fundamental para o desenvolvimento da linguagem oral e escrita. Revista Unilassale. v(1), pp. 153-169.

LOBATO, M. (2010). Fábulas. São Paulo, Brasil: Globo Livros.

LOPES, S., & ROSSO, S. (2005). Biologia: único. São Paulo, Brasil: Saraiva.

LOPES, L. A.; VALDUGA, M.; DAL-FARRA, R. A. (2018, Abril 9). Insetos e o ser humano: o olhar de estudantes do ensino fundamental em produções textuais. Revista Educere et Educare, v(13), p. 22. DOI: http://dx.doi.org/10.17648/educare.v13i28.14098.

MELO, G. A. R., AGUIAR, A. P., & GARCETE-BARRET, B. R. (2012). Hymenoptera. Insetos do Brasil: Diversidade e Taxonomia (pp. 553-612). Ribeirão Preto, Brasil: Holos.

NATIVIDADE, M. R., COUTINHO, M. C., & ZANELLA, A. V.; (2008, Junho 10). Desenho na pesquisa com crianças: análise na perspectiva histórico-cultural. Contextos Clínicos, v(1), pp. 9-18.

ODUM, E. P. (2012). Ecologia. Rio de Janeiro, Brasil: Guanabara Koogan.

SCANDELAI, R. H. R. (2009). Pelo fantástico mundo das fábulas. O professor PDE e os desafios da escola paranaense: Produção didático-pedagógica. (pp.1-29). Governo do Paraná, Brasil: Cadernos PDE.

ROTERDAM, E. De Pueris. (1996). Revista Intermeio. Campo Grande, Brasil: UFMS. Recuperado de: <http://www.laifi.com/laifi.php?id_laifi=501&idC=91773#>. Acesso em: 03. set. 2019.

TRIPLEHORN, C. A., & JOHNSON, N. F. (2015). Estudo dos Insetos. São Paulo, Brasil: Cengage Learning.

ZOPELARI, L. F. P. (2007). Desenho: uma forma e desenvolvimento infantil. Jaboticabal, SP, Brasil: Faculdade de Educação São Luis. Recuperado de:<http://www.portaldosprofessores.ufscar.br/biblioteca/112/artigo_desenho_livre_lauri_2_1_.pdf>. Acesso em: 24. nov. 2019.

Publicado
2020-06-30
Métricas
  • Visualizaciones del Artículo 153
  • PDF downloads: 83
Cómo citar
Ferreira, L., & Nagashima, L. A. (2020). LITERATURA INFANTIL Y GÉNEROS TEXTUALES: LA CONTRIBUCIÓN DE LAS FÁBULAS A LA ENSEÑANZA DE LA CIENCIA EM LOS PRIMEROS AÑOS DE LA EDUCACIÓN FUNDAMENTAL. PARADIGMA, 384-408. https://doi.org/10.37618/PARADIGMA.1011-2251.2020.p384-408.id773