Formação técnica e profissional e a mercantilização do ensino brasileiro sob o capital

Palabras clave: Currículo do Ensino Médio; Formação técnica e profissional; Parcerias Público-Privadas; Neoliberalismo.

Resumen

Políticas educacionais ajustaram-se no Brasil, na última década, para viabilizar a ação do capital na Educação Básica, em especial no Ensino Médio, bem como o ensino técnico e profissionalizante em prol das necessidades voltadas à sua reprodução. Esta pesquisa objetiva analisar as diretrizes da Lei n° 13.415/2017 e de normativas que a sucederam, desvelando os interesses dos conglomerados privados na educação pública e no itinerário da formação técnica e profissional. Pautada no referencial do materialismo histórico e em uma abordagem qualitativa, analisa o alinhamento dessa formação e da educação pública com as demandas de setores empresariais. Ampara-se em pesquisa documental e bibliográfica para discutir o “novo” Ensino Médio brasileiro, estabelecendo suas articulações com o capital. A reforma viabiliza, por intermédio de estratégias variadas, a intensificação da captação de recursos públicos pelas empresas, que invadem o ambiente escolar de distintas formas, processo esse em implantação em diferentes estados. Esse movimento se adensa perante a flexibilização curricular e o incremento da possibilidade de parcerias com instituições privadas, especialmente na formação profissional e técnica, mercantilizando e precarizando a educação pública, o que exige explicar seus fundamentos.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Arelaro, L. R. G. (2017). Reforma do Ensino Médio: O que querem os golpistas. Retratos Da Escola, 11(20), 11–17. https://doi.org/10.22420/rde.v11i20.770. Acesso em: 15 set. 2022.

Banco Mundial. (2011). Aprendizagem para Todos: Investir nos Conhecimentos e Competências das Pessoas para Promover o Desenvolvimento – resumo executivo. Washington DC. Disponível em: https://documents1.worldbank.org/curated/en/461751468336853263/pdf/644870WP00PORT00Box0361538B0PUBLIC0.pdf. Acesso em: 12 nov. 2022.

Bertoldo, E. (2018). A dualidade estrutural na Reforma do Ensino Médio. Gesto e Debate, 06 (01), 1-17. Disponível em: https://cdn-cms.f-static.com/uploads/1154357/normal_5afb241791732.pdf. Acesso em: 10 jun. 2022.

Brasil. (1996). Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 06 jun. 2022.

Brasil. (1997). Decreto nº 2.208, de 17 de abril de 1997. Regulamenta o § 2 º do art. 36 e os arts. 39 a 42 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Revogado pelo Decreto nº 5.154, de 2004. Disponível em: http://normativos.confea.org.br/downloads/2208-97.pdf. Acesso em: 11 fev. 2023.

Brasil. (2004a). Decreto nº 5.154 de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/d5154.htm. Acesso em: 18 dez. 2022.

Brasil. (2004b). Lei nº 11. 079, de 30 de dezembro de 2004. Institui normas gerais para licitação e contratação de parceria público-privada no âmbito da administração pública. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2004/Lei/L11079.htm. Acesso em: 13 jul. 2022.

Brasil. (2014). Lei nº 13.019, de 31 de julho de 2014. Estabelece o regime jurídico das parcerias entre a administração pública e as organizações da sociedade civil. 2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13019.htm. Acesso em: 13 jul. 2022.

Brasil. (2017). Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e o decreto-lei nº 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei nº 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L13415.htm.Acesso em: 19 jul. 2022.

Brasil. (2018a). Resolução CNE/CP n° 3, de 21 de novembro de 2018. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. 2018. Disponível em: https://abmes.org.br/arquivos/legislacoes/Res-CEB-CNE-003-2018-11-21.pdf. Acesso em: 19 jul. 2022.

Brasil. (2018b). Resolução CNE/CP nº 4, de 17 de dezembro de 2018. Base Nacional Comum Curricular. Ensino Médio. 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf.Acesso em: 19 jul. 2022.

Cardoso, J. (2020). A educação pública está sob ataque. Mídia Ninja. Disponível em: https://midianinja.org/julianacardoso/a-educacao-publica-esta-sob-ataque/. Acesso em: 20 out. 2022.

Catine, C. R. (2020). Para a crítica da educação neoliberal: entrevista com Christian Laval. Educação Temática Digital, 22 (4), 1031-1040. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8658365/23184. Acesso em: 05 jun. 2022.

Cêa, G. S. S. (2021). Parcerias público-privadas e hipertrofia do mercado na educação. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, 13 (1), 30-47. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/44350. Acesso em: 29 jun. 2022.

Favaro, N. de A. L. G.; Semzezem, P.; Gotardo, C. A. (2020). As funções do Ensino Médio brasileiro no âmbito do ajuste neoliberal e da crise do capital. Paradigma, 41, 730 -751. https://doi.org/10.37618/PARADIGMA.1011-2251.2020.p730-751.id809

Ferretti, C. J. (2018). A Reforma do Ensino Médio: desafios à educação profissional. Holos, 4, 261-271. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/6975. Acesso em: 28 set. 2022.

Garrido, F. J. A.; Santos, M. R.S. (2021). Parceria Público-Privada: privatização, mercantilização e financeirização na educação básica pública. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, 13(1), 72-89. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/43767. Acesso em: 10 jul. 2022.

Gonçalves, Y. (2020). Fundação Lemann e os ataques à Educação Básica Pública em tempos de Covid-19. Brasil de Fato. Disponível em: https://www.brasildefatope.com.br/2020/04/06/artigo-fundacao-lemann-e-os-ataques-a-educacao-basica-publica-em-tempos-de-covid-19. Acesso em: 03 out. 2022.

Harvey, D. (2008). O neoliberalismo: história e implicações. São Paulo: Loyola.

Leher, R. (2021). Estado, Reforma Administrativa e mercantilização da educação e das políticas sociais. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, 13(1), 9-29. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/43851. Acesso em: 15 out. 2022.

Lima, M.; Silva, M. L.; Monteiro, S. R. M. (2019). O protagonismo da reforma: análise do itinerário técnico e profissional e a BNCC. In: COLÓQUIO NACIONAL, 5.; COLÓQUIO INTERNACIONAL, 2., 2019, Natal, RN. Anais [...]. Natal, RN: IFRN, 2019. p. 01-12. Disponível em: https://coloquioep.com.br/anais/trabalhos/linha1/submissao28.pdf. Acesso em: 19 set. 2022.

Maros, A. (2021). Redução de Humanas no currículo escolar afeta liberdade crítica dos estudantes. Vizinhança. Disponível em: https://www.plural.jor.br/noticias/vizinhanca/reducao-de-humanas-no-curriculo-escolar-afeta-liberdade-critica-dos-estudantes/. Acesso em: 22 out. 2022.

Martins, A. S. (2009). A direita para o social: a educação da sociabilidade no Brasil contemporâneo. Juiz de Fora: UFJF.

Meneghetti, L. (2021). Anatel cancela acordo com Fundação Lemann para levar internet às escolas. Veja. Disponível em: https://veja.abril.com.br/economia/anatel-cancela-acordo-com-fundacao-lemann-para-levar-internet-as-escolas/. Acesso em: 28 out. 2022.

Moreno, J. C. (2016). História na Base Nacional Comum Curricular: déjà vu e novos dilemas no século XXI. História & Ensino, 22 (1), 07-27. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/histensino/article/view/26158. Acesso em: 03 out. 2022.

Oliveira, D. A. (2009). As políticas educacionais no governo Lula: rupturas e permanências. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, 25 (2),197-209. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/rbpae/article/view/19491. Acesso em: 10 jul. 2022.

Paiva, V. (2001). Sobre o conceito de" capital humano". Cadernos de pesquisa, 185-191. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/GZvy7G9DGMHJndk9NBTRGQK/?lang=pt. Acesso em 16 dez. 2022.

Paraná. (2015). Lei nº 18.492, de 25 de junho de 2015, aprova o Plano Estadual de Educação do Paraná (2015-2025). Disponível em: https://www.educacao.pr.gov.br/sites/default/arquivos_restritos/files/documento/2020-08/pee_lei_18492_2015.pdf. Acesso em: 13 out. 2022.

Paraná (2021). Deliberação CEE/PR nº 04, de 29 de julho de 2021. Institui as Diretrizes Curriculares Complementares do Ensino Médio e o Referencial Curricular para o Ensino Médio do Paraná. Disponível em: https://www.educacao.pr.gov.br/sites/default/arquivos_restritos/files/documento/2021-08/referencial_curricular_novoem_11082021.pdf. Acesso em: 20 nov. 2022.

Queiroz, L. (2021). O golpe do 5g nas escolas públicas será fundamentado pelo Instituto Lemann. Capital Digital. Disponível em: https://capitaldigital.com.br/o-golpe-do-5g-nas-escolas-publicas-sera-fundamentado-pelo-instituto-lemann/. Acesso em: 13 out. 2022.

Silva, M. R. (2017). Projetos de reformulação do ensino médio e inter-relações com a educação profissional: (im)possibilidades do ensino médio integrado. In: ARAÚJO, A. C.; SILVA, C. N. N. da (Orgs.). Ensino Médio Integrado no Brasil: fundamentos, práticas e desafios. Brasília: Ed. IFB, 71-89.

Silva, M. R. (2018). A BNCC da Reforma do Ensino Médio: o resgate de um empoeirado discurso. Belo Horizonte: Observatório de Educação. Disponível em: https://observatoriodeeducacao.institutounibanco.org.br/cedoc/detalhe/a-bncc-da-reforma-do-ensino-medio-o-resgate-de-um-empoeirado-discurso,19d5e2e3-1444-4056-8846-922a454032dc. Acesso em: 19 set. 2022.

Sousa, C. L.; Araújo, R. M. L. (2021). A Fundação Victor Civita e a rede de entidades públicas e privadas na educação. Revista Educação Em Questão, 59 (59), 1-27. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/23300. Acesso em: 28 set. 2022.

Todos pela educação. (2021). 2º Relatório Anual de Acompanhamento da Educação Já!. Disponível em: https://todospelaeducacao.org.br/wordpress/wp-content/uploads/2021/02/2o-Relatorio-Anual-de-Acompanhamento-do-Educacao-Ja_final.pdf. Acesso em: 20. set. 2022.

Publicado
2023-11-04
Métricas
  • Visualizaciones del Artículo 47
  • PDF (Português (Brasil)) downloads: 41
Cómo citar
Camargo, J. V. C. de, Favaro, N. de A. L. G., & Semzezem, P. (2023). Formação técnica e profissional e a mercantilização do ensino brasileiro sob o capital. PARADIGMA, 44(5), 370-394. https://doi.org/10.37618/PARADIGMA.1011-2251.2023.p370-394.id1509