Mercantilização do trabalho intelectual e a fuga de cérebros do Brasil

Palabras clave: Ciência. Fuga de cérebros. Mercantilização. Trabalho.

Resumen

Neste trabalho, apresentamos uma síntese do significado global do fenômeno da fuga de cérebros para compreender seus efeitos no âmbito científico brasileiro. Para tanto, visamos esclarecer o funcionamento do trabalho científico no Brasil diante de outro fenômeno, a mundialização da ciência. O pesquisador no compromisso com a ciência, ao internacionalizar e desenvolver seu trabalho, vive contradições na imersão com culturas que se entrecruzam. No entanto, esse intelectual trabalha sob novas tendências globais criadas pela ciência mundializada, circunstância que pode submetê-lo ao extremo da exploração de suas capacidades técnicas articulado com a perda de sua autonomia de pesquisa e a escolha de seu objeto. Para refletir sobre esses acontecimentos, tomamos como base estudos teóricos que justificam o conceito e o movimento da fuga de cérebros, discutindo o trabalho intelectual no capitalismo. Transitamos pelos âmbitos político, econômico e da ciência para concluir a análise do colapso da ciência brasileira e os motivos que contribuem para a mercantilização do conhecimento e evasão de cientistas do país.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

ALTBACH, P. G. Globalization and the university: Myths and realities in an unequal world, Tertiary Education & Management, 10:1, 3-25, 2004.

ALTBACH, P. G.; DE WIT, H. The Challenge to Higher Education Internationalization. University World News, February, 2018.

ANTUNES, R.; ALVES, G. As mutações no mundo do trabalho na era da mundialização do capital. Educação e Sociedade, v. 25, n. 87, p. 335-351, 2004

ANTUNES, R. Os Sentidos do Trabalho: ensaio sobre a afirmação e negação do Trabalho. São Paulo: Boitempo, 2009.

BRANDENBURG, U.; DE WIT, H. The End of Internationalization. International Higher Education, 62, p.15–16, 2011.

BRASIL. Emenda constitucional nº 95, de 15 de dezembro de 2016, altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Disponível em: <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03

/constituicao/emendas/emc/emc95.htm> Acesso em: 10 abr. 2023.

BRASIL, Programa Ciência sem fronteiras. Dados das chamadas, 08 jun. 2022. Disponível em: <https://www.gov.br/cnpq/pt-br/acesso-a-informacao/acoes-e-programas/programas/ciencia-sem-fronteiras> Acesso em: 13 abr. 2023.

BRAVERMAN, H. Trabalho e capital monopolista: a degradação do trabalho no século XX. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

BREINBAUER, A. Brain Drain – Brain Circulation or...What else happens or should happen to the Brains some Aspects of Qualified Person Mobility/Migration. FIW Working Paper, n. 4, jun. 2007.

BIANCHETTI, L. O processo de Bolonha e a globalização da educação superior: antecedentes, implementação e repercussões no que fazer dos trabalhadores da educação. Campinas: Mercado de Letras, 2015.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Relatório de Trabalho Internacionalização: Relatório e Recomendações. DAV. Brasília, novembro de 2019. Disponível em: <https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/2020-01-03-relatorio-gtinternacionalizacao-pdf> Acesso em: 13 abr. 2023.

CASSEB-GALVÃO, V. C. Políticas de Promoção e Ensino da Língua Portuguesa ao Redor do Mundo. Campinas, SP: Pontes, 2015.

CASTELLS, M. A era da informação: economia, sociedade e cultura. V. 1. Trad. Roneide Venâncio Majer e Klauss Brandini Gerhardt. 5. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

CHESNAIS, F. A mundialização do capital. São Paulo: Xamã, 1996.

FARGONI, E. H. E.; CATANI, A.; SILVA JR, J. R. La fuga de cerebros en Brasil bajo la política del bolsonarismo. Argumentos. Revista de crítica social, v. 24, p. 317, 2021.

FEENBERG, A. Tecnociência e a desreificação da natureza. Filosofia Unisinos, 21 (1), 2020.

GORZ, A. O imaterial: conhecimento, valor e capital. São Paulo: Annablume, 2005.

GRANGE, L. The role of (dis)trust in a (trans)national higher education development project. Higher Education, v. 46, n. 4, p. 491–505, 2003.

HAZELKORN, E. Rankings and the reshaping of higher education: The battle for world class excellence. Basingstoke: Palgrave Macmillan, 2011.

JENKINS, J. English as a lingua franca in the international university: The politics of academic English language policy. Routledge, 2013.

KNIGHT, J.; DE WIT, H. Internationalization of higher education: past and future. International Higher Education, n. 95, p. 2-4, 2018.

KNIGHT, J. Is Internationalisation of Higher Education Having an Identity Crisis? In: Maldonado Maldonado, A. & Bassett, R. M. (Eds.) The Forefront of International Higher Education: A Festschrift in Honor of Philip G. Altbach. Higher Education Dynamics: Springer Science + Business Media, 2014.

KNIGHT, J. The international university. Models and muddles. In: BARNETT, Ronald; PETERS, Michael A. (Eds). The idea of the university: contemporary perspectives. (Global Studies in Education). New York, Brussel: Peter Lang, 2018.

LACEY, H. Tecnociência comercialmente orientada ou investigação multiestratégica? Scientiae Studia. v. 12, n. 4, pp. 669-695, 2014.

LAZZARATO, M. Le cycle de la production immatériel. Futur Antérieur, [S.l.] n. 16, p. 111-120, 1993.

LEAL, F. G.; MORAES, M. C. B. Decolonialidade como epistemologia para o campo teórico da internacionalização da Educação Superior. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, 26(87), 2018.

MARGINSON, S. Higher education and the common good. Melbourne: Melbourne University Press, 2016.

MARX, K. O Capital: crítica da economia política. Tradução por Regis Barbosa e Flávio R. Kothe. São Paulo: Abril Cultural, Livro 1, v.1, t.1. 1985.

MARX, K. Manuscritos econômicos e Filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2008.

MARX, K. Grundrisse: manuscritos econômicos de 1857-1858: esboços da crítica da economia política. São Paulo: Boitempo, 2011.

MORAES, M. C. M. O processo de Bolonha vis a vis a globalização de um modelo de Ensino Superior. Perspectiva, Florianópolis, v. 24, n. 1, p. 187-203, jan/jun. 2006.

NEVES, C. E. B.; BARBOSA, M. L. de O. Internationalization of higher education in Brazil: advances, obstacles, and challenges. Sociologias [online]. v. 22, n. 54 pp. 144-175, 2020.

PAVEL, A. P. Global university rankings - a comparative analysis. Elsevier, Procedia Economics and Finance 26, 54 – 63, 2015.

SEVCENKO, N. O professor corretor. Folha de S. Paulo. 04 de junho de 2000. Disponível em <http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mais/fs0406200004.htm> Acesso em: 13 abr. 2023.

SGUISSARDI, V; SILVA JÚNIOR, J. R. Novas faces da educação superior no Brasil: Reforma do Estado e mudanças na produção. São Paulo: Cortez, 2001.

SHARPE, R. What is a World Class University? A literature reviews. Elementa Leadership, Articles and Provocations., 2014.

SJAASTAD, L. The cost and returns of human migration. Journal of Political Economy, v. 70, p. 80-93, 1992.

SLAUGHTER, S.; RHOADES, G. Academic capitalism and new economy – market, State and higher education. Baltimore: The John Hopkins University Press, 3rd. ed. 2011.

SLAUGHTER, S. CANTWELL, B. Transatlantic moves to the market: the United States and the European Union. Higher Education, v. 63, n. 5, p. 583–606, 2012.

SILVA, K. A.; TORRES, D. Português como língua (inter) nacional: faces e interfaces. Campinas, SP: Pontes Editores, 2013.

SILVA JR, J. R. The new Brazilian University: a busca por resultados comercializáveis: para quem? 1.ed. – Bauru: Canal 6, 2017.

SILVA JR., J. R.; KATO, F. B. G. A Política de Internacionalização da Pós-graduação stricto sensu brasileira: breves considerações sobre a atual política da CAPES. In: Valdivina Alves Ferreira. (Org.). Políticas e Avaliação da pós-graduação Stricto Sensu: da inserção social local à internacionalização. 1ed.Brasília: Universidade Católica de Brasília, v. 1, p. 17-36, 2018.

SILVA JR, J. R.; FARGONI, E. H. E. Mundialização da educação superior: notas sobre economia, produção de conhecimento e impactos na sociedade civil. Trabalho & Educação, [S. l.], v. 28, n. 3, p. 35–49, 2019.

SILVA JR, J. R; FARGONI, E. H. E. Tecnociência, industrialização e pesquisa na financeirização radical do capitalismo e da educação superior. Revista Inter Ação, Goiânia, v. 45, n. 3, p. 569–581, 2020.

SILVA JR, J. R; FARGONI, E. H. E. Notas sobre o colapso da ciência no Brasil. EccoS – Rev. Cient., São Paulo, n. 58, p. 1-18, jul./set. 2021

STEIN, S. Critical internationalization studies at an impasse: making space for complexity, uncertainty, and complicity in a time of global challenges. Studies in Higher Education, 2019.

VAVRUS, F.; PEKOL, A. Critical Internationalization: Moving from Theory to Practice. FIRE: Forum for International Research in Education, 2(2), 2015.

Publicado
2023-11-04
Métricas
  • Visualizaciones del Artículo 41
  • PDF (Português (Brasil)) downloads: 43
Cómo citar
Fargoni, E. H. E., & Silva Júnior, J. dos R. (2023). Mercantilização do trabalho intelectual e a fuga de cérebros do Brasil. PARADIGMA, 44(5), 13-33. https://doi.org/10.37618/PARADIGMA.1011-2251.2023.p13-33.id1494