LA IMPORTANCIA DE LA FORMACIÓN DOCENTE EN EDUCACIÓN INCLUSIVA PARA LA ATENCIÓN DE ESTUDIANTES CON NEE

Palabras clave: Educação Inclusiva, Formação Docente, Formação Continuada, Necessidades Educacionais Especiais, Dificuldades de Aprendizagem

Resumen

A escola regular atua como escola inclusiva a partir do momento que ela consegue identificar e trabalhar as dificuldades e as habilidades apresentadas pelo estudante atendido. Desse modo, para efetivar os atendimentos de alunos com necessidades educacionais especiais (NEE), é importante que haja um elo entre os professores da sala regular (SR) e os da sala de recursos multifuncionais (SRM). Entretanto, é esperado déficits dessa comunicação e do preparo dos docentes para atuarem com alunos com NEE. Diante disso, este trabalho objetiva refletir sobre a importância da formação docente nas áreas da educação especial e inclusiva a fim de promover uma inclusão plena dos alunos com NEE nas escolas, através da atuação dos professores da SRM e da SR. O estudo foi conduzido com sete docentes da SR e dois da SRM que atuam com turmas do 6º ao 9º ano, através de uma entrevista semiestruturada adaptada em um formulário eletrônico. Os dados foram analisados através de análise de conteúdo. Como resultados, observamos que ainda existem muitos desafios a serem superados entre a prática e formação docente para que possamos desenvolver situações que promovam uma aprendizagem mais plena e que potencialize o aluno a aprender os conceitos necessários para seu crescimento pessoal.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Juciana da Silva Rodrigues, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte
Pedagoga pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Especialista em Educação Inclusiva pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN). Atualmente é professora Polivante do Centro Educacional Alferes Tiradentes.
Paulo Ivo Silva de Medeiros, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Licenciado em Pedagogia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), Bacharel em Ecologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Especialista em Educação Ambiental e Geografia do Semiárido pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), Mestre em Ecologia pela UFRN. Tem experiencia em atividades de ensino, pesquisa e extensão nas áreas de educação e do meio ambiente.

Citas

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 6. ed. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Decreto Nº 7.611, de 17 de Novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7611.htm#art11>. Acesso em: 27 de out. de 2021.

BRASIL. Decreto Nº 10.502, de 30 de Setembro de 2020. Institui a Política Nacional de Educação Especial: Equitativa, Inclusiva e com Aprendizado ao Longo da Vida. Disponível em: <https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/decreto-n-10.502-de-30-de-setembro-de-2020-280529948>. Acesso em: 27 de out. de 2021.

BRASIL. Lei n.º 9394/96. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: 1996. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm. Acesso em: 28 out. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Experiências educacionais inclusivas: Programa Educação Inclusiva: direito à diversidade. Org. Berenice Weissheimer Roth. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2006. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/experiencias%20inclusivas.pdf >. Acesso em: 14 dez. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Manual de Orientação: Programa de Implantação de Salas de Recursos Multifuncionais. Brasília: MEC. SEESP, 2010. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=9936-manual-orientacao-programa-implantacao-salas-recursos-multifuncionais&Itemid=30192>. Acesso em: 15 dez. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Nota Técnica Nº 9/2010. Orientações para a Organização de Centros de Atendimento Educacional Especializado. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=4683-nota tecnica-n9-centro-aee&Itemid=30192>. Acesso em: 10 de out. de 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, 2008. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf>. Acesso em: 10 jan. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CEB Nº 2, de 11 de Setembro de 2001. Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CEB0201.pdf>. Acesso: 15 de nov. de 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Adaptações Curriculares. Estratégias para a Educação de Alunos com Necessidades Educacionais Especiais. Brasília: MEC/SEF/SEESP, 1998. Acesso em: 12 dez. de 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Modalidades Especializadas de Educação. PNEE: Política Nacional de Educação Especial: Equitativa, Inclusiva e com Aprendizado ao Longo da Vida/Secretaria de Modalidades Especializadas de Educação – Brasília: MEC/SEMESP, 2020. Acesso em: 15 set. de 2021.

BRASIL. Resolução Nº 510, de 07 de Abril de 2016. Disponível em: <http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510.pdf>. Acesso em: 1 de nov. de 2021.

BOSSA, Nádia. A psicopedagogia no Brasil: contribuições a partir da prática. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2001.

¬¬¬¬

BORDINHÃO, Jacqueline Pintor; SILVA, Elias do Nascimento. O uso dos materiais didáticos como instrumentos estratégicos ao ensino-aprendizagem. Disponível em:<https://semanaacademica.com.br/system/files/artigos/o_uso_dos_materiais_didaticos_como_instrumentos_estrategicos_ao_ensino-aprendizagem.pdf. >. Acesso em: 06 de set. 2021.

CAIADO, Elen Campos. Hiperatividade na escola. (Brasil Escola, 2002). Disponível em: < http://www.educador.brasilescola.com >. Acesso em: 07. Mar. 2020.

CAVACO, N. Minha criança é diferente? Diagnóstico, prevenção e estratégia de intervenção e inclusão das crianças autistas e com necessidades educacionais especiais. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2014.

COOK, L.; FRIEND, M. Co-teaching: guidelines for creating effective practices. Focus on Exceptional Children, v. 28, n. 3, p. 1-16, 1993.

FERNÁNDEZ, Alicia. O saber em jogo A psicopedagogia propiciando autorias de pensamento. Porto Alegre: Artmed, 2001.

GONÇALVES E FIALHO, Vera Lúcia Capellini Messias, Enicéia Mendes. Formação Continuada de Professores para a Diversidade Educação, vol. XXVII, núm. 54, setembro-dezembro, 2004, p. 597-615, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Brasil. LDB 9394. Site: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 29 de out. de 2021

MANTOAN, Maria Teresa Eglér. Inclusão escolar: o que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Moderna, 2003.

MAZZOTTA, Marcos José da Silveira. Educação especial no Brasil: história e políticas públicas. São Paulo: Cortez, 1999.

MITTLER, Peter. Educação inclusiva: contextos sociais. Tradução: Windyz Brazão Ferreira. Porto Alegre: Artmed, 2003.

NÓVOA, António. Formação de professores e profissão docente. Disponível em: <https://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/4758/1/FPD_A_Novoa.pdf>. Acesso em: 26 de out. de 2021.

OLIVEIRA, A. A. S. A política de formação de professores para educação especial: a ausência de diretrizes ou uma política anunciada. In: PINHO, S. Z. (Org.). Formação de educadores: o papel do educador e sua formação. São Paulo: Ed. UNESP, 2009.

UNESCO. DECLARAÇÃO DE SALAMANCA: Sobre princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais. Salamanca – Espanha, 1994.

VEIGA, lima P. Alencastro. Projeto Político-Pedagógico da Escola: uma construção coletiva. In: Projeto Político-Pedagógico da Escola: uma construção possível. 29. ed. Papirus: São Paulo, 2014, p. 11-35.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e Linguagem. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1989.

Publicado
2023-01-01
Métricas
  • Visualizaciones del Artículo 547
  • PDF downloads: 340
Cómo citar
Rodrigues, J. da S., & Medeiros, P. I. S. de. (2023). LA IMPORTANCIA DE LA FORMACIÓN DOCENTE EN EDUCACIÓN INCLUSIVA PARA LA ATENCIÓN DE ESTUDIANTES CON NEE. PARADIGMA, 44(1), 01-22. https://doi.org/10.37618/PARADIGMA.1011-2251.2023.p01-22.id1189
Sección
Artículos