PASANTÍAS SUPERVISADAS EN PEDAGOGÍA Y PROFESIONALIZACIÓN DE LA ENSEÑANZA: ¿QUÉ APUNTAN LAS BÚSQUEDAS SOBRE ESA CORRELACIÓN?

Palabras clave: estágio supervisionado; pedagogia; profissionalização do ensino.

Resumen

El artículo propone las pasantías supervisadas como un campo potencializado de la profesionalización de la enseñanza. Su objetivo es mapear las producciones científicas hechas bajo las prácticas en el área de Pedagogía, en el periodo de 2002 hacia 2020, a partir del análisis de investigación centrada en la epistemología de la práctica. Se ha realizado, a fin de producir los datos, un estudio del estado del arte en relación a las producciones científicas sobre las prácticas de pasantía supervisada, con la intención de constituir un campo teórico en el área de formación docente, tratando de los huecos sobre el tema. Se ha considerado el catálogo de tesis y disertaciones de CAPES, con un seleccionado de 26 trabajos, 21 disertaciones y 5 tesis doctorales, con la mayor incidencia de búsquedas científicas en los años 2015, 2016 e 2017. El análisis de los trabajos ha resultado en la elaboración de cinco categorías analíticas: relaciones: teoría x práctica; aprendizaje de la docencia; construcción de saberes e identidad profesionales; resignificación de las prácticas a los maestros más expertos; extensión universitaria y formación continuada; representación social de la profesión. Se han indicado los huecos temporales sobre el desarrollo de las búsquedas sobre la temática, así como un gran número de producciones derivadas de universidades públicas, mayormente de las regiones Sudeste y Nordeste de Brasil, desvelando la ausencia de discusiones profundizadas en las otras regiones del país. Los análisis han indicado que el modelo de profesionalización de la enseñanza no es algo completamente contemplado en los proyectos de las pasantías supervisadas. De este modo, el artículo defiende la necesidad de reformulaciones de los programas en cursos de Pedagogía, así como de las prácticas supervisadas, creando una articulación favorable del proceso de formación profesional, con énfasis de fortalecer la profesionalización de la enseñanza y de cómo es importante una red de investigaciones científicas sobre el tema en todas las regiones del país.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Alencar, L. M. G. de. (2017). O Estágio Supervisionado e as aprendizagens docentes na formação inicial em Pedagogia. Dissertação de Mestrado em Educação, Instituição de Ensino: Fundação Universidade Federal do Piauí, Teresina, Brasil.

Altet, M. As competências do professor profissional: entre conhecimentos, esquemas de ação e adaptação, saber analisar. Paquay, L., Perrenoud, P., Altet, M., Charlier, E. (Orgs). Formando Professores profissionais: Quais estratégias? Quais competências?. (2001). Porto Alegre; Artmed.

Araújo, G. T. G. de. (2010). Estágio supervisionado, espaço e tempo de formação do pedagogo para a atuação profissional. Dissertação de Mestrado em Educação, Instituição de Ensino: Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, Brasil.

Araújo, S. R. P. M. de. (2014). Acolhimento no estágio: entre modelos e possibilidades de formação docente. Dissertação de Mestrado em Educação, Instituição de Ensino: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho/Rio Claro, Rio Claro, Brasil.

Azanha, J. M. P. (1992). Uma Idéia de Pesquisa Educacional. São Paulo: EDUSP.

Bourdoncle, R. (1990). De l´instituteur à l´expert. Les IUFM et l´évolution des instituitions de formation. Recherche et formation, (8), 57-72.

Brasil, M. G. de P. (2010). A contribuição do estágio supervisionado para a formação reflexiva do pedagogo. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil.

Carvalho, C. C. de. (2016). Docência na EJA: perspectivas da formação inicial de pedagogos do campus XV da Uneb, no desenvolvimento do estágio supervisionado, nas séries iniciais do ensino fundamental. Dissertação de Mestrado Profissional em Educação e Diversidade, Universidade do Estado da Bahia, Jacobina, Brasil.

Cruz, J. F. T. da. (2014). O estágio supervisionado como contexto de formação docente específica para a educação infantil: o que dizem os formandos sobre suas aprendizagens? Tese de Doutorado em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil.

Cyrino, M. (2016). Do acolhimento ao acompanhamento compartilhado: A construção colaborativa de uma proposta para o estágio curricular no curso de pedagogia. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, Brasil.

Dubar, C. (1997). A socialização: construção de identidades sociais e profissionais. Porto: Porto Editora.

Enviy, P. C. (2019). Reflexões no processo ensino/aprendizagem e suas implicações na formação inicial docente: contextos inclusivos na educação de jovens e adultos. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Estadual do Centro-Oeste, Brasil.

Felix, F. M. M. (2013). O professor em formação: a mediação pedagógica de estagiárias de pedagogia. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade do Estado de Mato Grosso, Cáceres, Brasil.

Fiório, M., Souza Neto, S., Arnosti, R. (2019). Entre o direito a ternura, a literatura de autoajuda e os saberes docentes: um estudo sobre os processos de escolarização e universitarizão na pedagogia. Monteiro, S. A. de S (Org.). Formação Docente: Princípios e Fundamentos. (v. 23, pp. 252-267). Ponta Grossa: Atena Editora. 10.22533/at.ed.705193005

Gauthier, C., Martineau, S., Desbiens, J., Simard, D. (1998). Por uma teoria da Pedagogia. Ijuí: Editora Unijuí.

Hargreaves, A. (2000). Four Ages of Professionalism and Professional Learning. Teachersand Teaching: History and Practice, 6, 151-182.

HOLMES Group. (1986). Tomorrow's teachers: A report of the Holmes Group. East Lansing. Michigan: Holmes Group.

Huberman, M. (1992). O ciclo de vida profissional. Nóvoa, A. (Org.). Vida de professores, (31-61). Porto: Porto Editora.

Lima, M. D. F. (2005). Formação de docentes em serviço: o processo formativo da experiencia de estágio supervisionado. Tese de Doutorado em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil.

Ludke, M., André, M. E. D. (1986). Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo, EPU.

Menezes, M. C. F. de. (2015). Processo identitário e saberes docentes: um estudo a partir da prática de ensino no estágio do curso de pedagogia da UFRN. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil.

Neves, C. S. de V. (2011). Possíveis contribuições do estágio curricular supervisionado para a construção da identidade profissional de professor. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Brasil.

Nóvoa, A. (2017). Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa [online]., 47(166), 1106-1133. https://doi.org/10.1590/198053144843

Nóvoa, A. (2002). Formação de professores e trabalho pedagógico. Lisboa: Educa.

Nóvoa, A. (2019). Os Professores e a sua Formação num Tempo de Metamorfose da Escola. Educação & Realidade, 44(3), e84910, http://dx.doi.org/10.1590/2175-623684910

Oliveira, M. F. S. de. (2016). O estágio supervisionado da educação infantil no curso de pedagogia da FCT/UNESP. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Presidente Prudente), Presidente Prudente, Brasil.

Ortiz, H. M. (2003). O professor reflexivo: (re) construindo o "ser" professor. IV Congresso de Educação do Movimento Humanidade Nova - Educação a fraternidade: um caminho possível?, (p. 1-10). Vargem Grande Paulista, Movimento Humanidade Nova. 1-10.

Pilonetto, R. de F. R. (2017). Cuidado e Educação: Compreensões construídas em contexto de estágio supervisionado em Educação Infantil. Tese de Doutorado em Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Brasil.

Pires, J. G. C. (2017). As representações sociais dos acadêmicos do curso de pedagogia sobre a prática pedagógica na educação infantil. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, Brasil.

Rocha, E. da Luz. (2018). Formação inicial de professores para a educação de jovens e adultos em instituições públicas de ensino superior públicas do Rio Grande do Sul. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Brasil.

Romanowski, J. P., ENS, R. T. (2006). As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte” em educação. Diálogo Educ., 6(19), 37-50.

Rosa, M. M. de C. S. (2010). Tecendo uma manhã: o estágio supervisionado no curso de pedagogia mediado pela extensão universitária. Tese de Doutorado em Educação, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho/Marília, Marília, Brasil.

Santos, E. O. dos. (2009). A contribuição do estágio na construção dos conhecimentos necessários ao exercício da docência no curso de pedagogia. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, Brasil.

Santos, T. F. dos. (2015). A escola de educação básica e a formação inicial em pedagogia: um estudo de caso. Dissertação de Mestrado em Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande Do Sul, Porto Alegre, Brasil.

Sarti, F. M. (2009). Parceria intergeracional e formação docente. Educ. rev., 25(2). http://dx.doi.org/10.1590/S0102-46982009000200006

Schön, D. A. (1992) Formar professores como profissionais reflexivos. NÓVOA, António (Coord.). Os professores e sua formação, (pp. 78-93). Lisboa: Dom Quixote.

Schön, D. A. (1995). Formar professores como profissionais reflexivos. NÓVOA, A. (Coord.) Os professores e a sua formação, (pp. 77-91). Lisboa: Dom Quixote, 1995.

Shulman, L. (2005). Signature pedagogies in the professions. Daedalus, 134(3), 52-59.

Silva, M. de L. de A. (2015). O programa institucional de bolsa de iniciação à docência e a formação do pedagogo: limites e potencialidades. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Católica de Brasília, Brasília, Brasil.

Silva, P. A. (2016). Encontros de formação na educação infantil: experiências partilhadas no estágio supervisionado do curso de pedagogia. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, Brasil.

Silva, S. M. B. da. (2013). O estágio supervisionado na formação do pedagogo: saberes e fazeres construídos no espaço da sala de aula. Dissertação de Mestrado em Educação, Fundação Universidade Federal do Piauí, Teresina, Brasil.

Smyth, J. (1992). Teacher’s Work and Politics of Reflection. American Educational Research Journal, 29(2), 267-300.

Sousa, M. G. da S. (2016). Estágio curricular supervisionado e a construção e (re) construção de saberes docentes: trajetórias narradas no contexto da formação inicial de professores. Tese de Doutorado em Educação, Fundação Universidade Federal do Piauí, Teresina, Brasil.

Souza Neto, S., Sarti, F. M., Benites, L. C. (2016). Entre o ofício de aluno e o habitus de professor: os desafios do estágio supervisionado no processo de iniciação à docência. Movimento: Revista de Educação Física da UFRGS, 22(1), 311-324. https://doi.org/10.22456/1982-8918.49700.

Souza Neto, S.; Cyrino, M.; Borges, C. (2019). O Estágio Curricular Supervisionado como lócus central da Profissionalização do Ensino. Revista Portuguesa de Educação, 32(1), 52-72. https://doi.org/10.21814/rpe.13439.

Souza, A. de F. (2015) Constituição da identidade profissional docente no curso de pedagogia a partir do estágio supervisionado. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, Brasil.

Tardif. M. (2002). Saberes Docentes e Formação Profissional. Rio de Janeiro: Editora Vozes.

Tardif. M. (2000). Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários. Revista Brasileira de Educação, 1(13), 5-24, Disponíble: http://educa.fcc.org.br/pdf/rbedu/n13/n13a02.pdf. Consulta: 19/09/2019.

Tardif. M. A profissionalização do ensino passados trinta anos: dois passos para a frente, três para trás. Educ. Soc.[online], 34(123), 551-571. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302013000200013.

Tardif, M., Lessard, C. (2005). O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis: Vozes.

Ulhôa, A. A. (2007). O estágio curricular supervisionado no curso de Pedagogia e a aprendizagem profissional da docência: alguns elementos para reflexão. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, Brasil.

Vaughn, L. (2015). Relatórios de estágio curricular na educação infantil e a formação do professor crítico. Dissertação de Mestrado em Educação, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, Brasil.

Vieira, A. M. E. C. da S. (2016). Representação social de estagiários (as) do curso de pedagogia acerca da docência. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil.

Wittorski, R. (2014). A contribuição da análise das práticas para a profissionalização dos professores. Cadernos de Pesquisa, 44(154), 894-911.

Publicado
2023-01-01
Métricas
  • Visualizaciones del Artículo 81
  • PDF downloads: 74
Cómo citar
Stein, R. F., Fiorio, M., Onofre, M. R., & Souza Neto, S. de. (2023). PASANTÍAS SUPERVISADAS EN PEDAGOGÍA Y PROFESIONALIZACIÓN DE LA ENSEÑANZA: ¿QUÉ APUNTAN LAS BÚSQUEDAS SOBRE ESA CORRELACIÓN? . PARADIGMA, 44(1), 225-247. https://doi.org/10.37618/PARADIGMA.1011-2251.2023.p225-247.id1112
Sección
Artículos