LA CULTURA MAKER EM EL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO DO RIO GRANDE DO SUL – BRASIL: UNA VISIÓN DE LA GESTIÓN SOBRE LA IMPLEMENTACIÓN DEL LAB IF MAKER

Palabras clave: Cultura Maker, Gestão Escolar, Inovação

Resumen

Um tema criador de cultura foi apresentado como potencial de inovação no ambiente escolar. Exemplo disto, foi ou edital 35/2020 do Ministério da Educação, ou anteriormente apoiando a criação do Lab IFMaker em unidades acadêmicas da Rede Federal. Este estudo teve como locus ou Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) nos campi de Bento Gonçalves, Ibirubá e Osório, os quais são contemplados como a implantação de laboratórios maker , por meio do encaminhamento editorial, norteamento ou abordagem metodológica da pesquisa exploratória qualitativa a partir da aplicação de entrevistas semiestruturadas com os respectivos gestores. O objetivo do estudo foi analisar os motivadores e as contribuições para a implantação do IFMaker Lab e sua relação com o desenvolvimento de uma cultura maker .num instituto federal. Lançando, também, um olhar da gestão escolar com base nos princípios disruptivos da cultura maker , em consonância com a concepção democrático-participativa, não no desenvolvimento de um espaço educacional inovador e provocativo. O campo teórico é baseado nos escritos de Anderson (2006, 2016), Clay e Phillips (2015), Hatch (2013) e Libâneo (2012). Você, amado deste estudo, nos lembra das contribuições do movimento maker to education, desenvolvedor do empreendedorismo educacional, gestos da escola democrática-participativa, chave para inovações e mudanças culturais. 

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Edson Carpes Camargo, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Bento Gonçalves
Doutor em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Docente da área de Pedagogia do Instituto Federal do Rio Grande do Sul - Campus Bento Gonçalves. Atua em cursos de formação de professores e professoras com interesse em temas que abordem a Formação Docente Inicial e Continuada; Estudos sobre as Infâncias.

Citas

Anderson, C. (2006). A cauda longa: do mercado de massa para o mercado de nicho. Rio de Janeiro: Elsevier.

Anderson, C. (2016). A nova revolução industrial: Makers. Rio de Janeiro: Elsevier.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Brasil (2020). Chamada pública de apoio à criação dos laboratórios IFMaker na Rede Federal de Educação Profissional Cienfica e Tecnológica (Rede Federal). Edital Nº 35/2020 SEI/MEC. Disponível em: https://portal.conif.org.br/images/SEI_MEC_2064339_Edital_Chamada_ Publica.pdf Disponível em: 04/02/2021.

Brasil (2008). Lei 11.892/08 de 29 de dezembro de 2008 Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11892.htm Consulta em: 05/04/2021.

Brasil (2020). Ministério da Educação. Edital nº 35/2020. Disponível em: https://sei.mec.gov.br/sei/controlador_externo.php?acao=documento_conferir&codigo_verificador=2064339&codigo_crc=82C8545F&hash_download=9fac4d7cd0e05e3c0d9f78aa6cb2324bb0cbb70913421543e04a54f9351b744fca2d6e272cdf30a7486918812b1a411f61126c312650d5bd5535abd218c57c89&visualizacao=1&id_orgao_acesso_externo=0 Consulta em: 05/04/2021.

Carroll, L. (2021). Alice no país das maravilhas. Editora Bibliomundi Serviços Digitais.

Clay, A; Phillips, K. M. (2015). A economia dos desajustados: alternativas informais para um mundo em crise. São Paulo: Figurati.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas.

Hatch, M. (2013). The maker movement manifest: rules for innovation in the new world of crafters, hackers, and tinkerers. McGraw-Hill.

Instituto Federal do Rio Grande do Sul (2021). A história do IFRS. Disponível em: http://ifrs.edu.br/institucional/sobre/ Consulta em: 05/04/2021.

Koch, R. (2015). O princípio 80/20: Os segredos para conseguir mais com menos nos negócios e na vida. São Paulo: Gutenberg.

Libâneo, J. C. (2012). Educação escolar: políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez.

Medeiros, J. (2018). Movimento maker na educação: creative learnig, FAB LABS e a construção de objetivos para apoio a atividades educacionais de ciências e tecnologias, no ensino fundamental 2 (Séries finais). Disponível em https://dspace.ifrs.edu.br/bitstream/handle/123456789/108/123456789108.pdf?sequence=1&isAllowed=y Consulta em: 09/02/2021.

Organização Mundial da Saúde (2020). Discurso de abertura do Diretor-Geral da OMS no briefing para a mídia sobre COVID-19. Disponível em: https://www.who.int/director-general/speeches/detail/who-director-general-s-opening-remarks-at-the-media-briefing-on-covid-19---11-march-2020 Consulta em 24/09/2020.

Pacini, G. D.; Passaro, A. M.; Henriques, G. C. (2019). Pavilhão FAB!t: proposta portátil para inserção da cultura maker no ensino tradicional. Gestão & Tecnologia De Projetos, 14(1), 76-89. Disponível em http://dx.doi.org/10.11606/gtp.v14i1.148143 Consulta em: 09/02/2021.

Poe, E. A. (2015). Contos. Um Homem na Lua. Centaur. Kindle Edition.

Publicado
2022-07-02
Métricas
  • Visualizaciones del Artículo 23
  • PDF downloads: 12
Cómo citar
da Silva Pereira, M., & Carpes Camargo, E. (2022). LA CULTURA MAKER EM EL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO DO RIO GRANDE DO SUL – BRASIL: UNA VISIÓN DE LA GESTIÓN SOBRE LA IMPLEMENTACIÓN DEL LAB IF MAKER . PARADIGMA, 43(2), 267-284. https://doi.org/10.37618/PARADIGMA.1011-2251.2022.p267-284.id1099
Sección
Artículos