POSIBILIDADES DE FACEBOOK COMO ENTORNO VIRTUAL DE APRENDIZAJE PARA LA ENSEÑANZA DE LAS MATEMÁTICAS

Palabras clave: Ensino de Matemática. Aprendizagem. Ambiente Formativo. Facebook.

Resumen

Atualmente, apresenta novos modos de interação social, dada a diversidade e possibilidades de dois meios de comunicação. Essa reflexão não é a forma como as pessoas se relacionam com os diferentes sistemas educacionais. Com esse entendimento, realizamos um estudo de indagação: para qual entendimento ou ensino de matemática podemos usar o Facebook como ambiente virtual de aprendizagem? Buscando a compreensão do não uso ou uso do Facebook como AVA para o ensino de matemática. É por isso que queria dizer que você se preocupa em saber / compreender e não provar hipóteses ou ideias sobre o seu uso em nenhum caso.Essa conjectura encontrou uma pesquisa qualitativa, com abordagem fenomenológica, com possibilidade de ser realizada. Por isso, fez inquéritos por palestrantes sobre produções ou assunto. Como produtos encontrados à luz do questionário principal. À medida que as respostas aumentam, entendemos que o nosso Facebook não é AVA, ou que não foi produzido com fins pedagógicos, cabelo que, de acordo com a sua adaptação para cumprir os requisitos pedagógicos, vemos uma alternativa inovadora ou mesmo que ofereça possibilidades de interação , formação e difusão do conhecimento através de um ambiente aberto ao debate, à disposição de todos aqueles que lhe dão acesso.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Josiel de Oliveira Batista, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - Unifesspa
Doutorando (2019) e Mestre em Educação em Ciências e em Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e em Matemática (PPGECM), da Universidade Federal do Paraná - UFPR (2016). Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal do Pará - UFPA (2011), em Ciências Naturais com habilitação em Química pela Universidade do Estado do Pará - UEPA (2012) e bacharelado em Geologia pela Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - Unifesspa (2019). Atualmente é professor do magistério superior da Unifesspa. 
Danielle de Sousa Silva dos Santos, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)
Mestra no Ensino de Ciências e Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Formação Cientifica, Educacional e Tecnológica (PPGFCET) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Possui especialização em Educação Especial e Inclusiva - EaD pela Faculdade Educacional da Lapa (FAEL) e graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa). Trabalha atualmente como professora do Fundamental II no Colégio Encanto Juvenil - CEJ de São Paulo, SP.
Eder Paulo Pereira, Universidade Federal do Paraná (UFPR)
Mestre em Educação em Ciências e em Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e em Matemática (PPGECM) da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Possui graduação em Matemática (2003) e em Pedagogia (2008) pela Universidade Estadual do Paraná. Especialização em Educação Especial e Inclusiva pela UFPR (2004), em Metodologia do Ensino da Matemática pela Faculdade Internacional de Curitiba (2007) e em Coordenação Pedagógica pela UFPR (2014). Ingressou como professor do quadro próprio do magistério efetivo da rede estadual do Paraná no de 2005, atuando como professor do Ensino Fundamental nos Anos Finais e Médio de matemática e educação especial,  Coordenador pedagógico (2012 a 2015) e diretor auxiliar em um Colégio Estadual de 2012 até o ano atual.
Luciane Ferreira Mocrosky, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)
Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (1989), Mestrado em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho -UNESP/Rio Claro -(1997) e Doutorado em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho -UNESP/Rio Claro -(2010) . Atualmente é professora Titular da Carreira EBTT na Universidade Tecnológica Federal do Paraná, no Programa de Pós Graduação em Formação Científica, Educacional e Tecnológica (PPGFCET-UTFPR). Tem experiência na área de Educação com ênfase em Educação Matemática. É membro dos seguintes Grupos de Pesquisa: Fenomenologia em Educação Matemática (FEM), Grupo de Estudos e Pesquisa em Formação de Professores (GEForProf) e Grupo de Pesquisa sobre Tecnologias na Educação Matemática e do Grupo de Estudos (GPTEM).

Citas

AGUIRRE, K. M.B. O uso do facebook no ensino de matemática. 2012. 48 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Centro Interdisciplinar de Novas Tecnologias na Educação, Curso de Especialização em Mídias na Educação, Porto Alegre, 2012. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/95764. Acesso em: 10 jun. 2020.

ANJOS, A.V.R. Referencial Pedagógico para Análise de Ambientes Virtuais de Aprendizagem. 2015. 126 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Mato Grosso, Instituto de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Cuiabá, 2015. Disponível em: https://ri.ufmt.br/bitstream/1/74/1/DISS_2015_Rosana%20Abutakka%20Vasconcelos%20dos%20Anjos.pdf. Acesso em: 10 jun. 2020.

BATISTA, J. de O.; MOCROSKY, L. F.; ZIMER, T. T. B. La formación para profesores que enseñan matemática a futuros profesores en modo EaD. Paradigma, [S.l.], v. 41, n.2, p.102-124, 2020. Disponível em: http://revistaparadigma.online/ojs/index.php/paradigma/article/view/848. Acesso em: 01 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.37618/PARADIGM.1011-2251.0.p102-124.id848

BATISTA, J. DE O.; MOCROSKY, L. F.; MONDINI, F. Modos de Ser na/da Educação a Distância. Ead em Foco, [S.l.], v. 10, n. 1, p. 1-14, 5 abr. 2020. Fundação CECIERJ. Disponível em: https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/901. Acesso em: 01 mar. 2021. DOI: http://dx.doi.org/10.18264/eadf.v10i1.901.

BICUDO, M. A. V. Pesquisa fenomenológica em educação: possibilidades e desafios. Paradigma, [S.l.], v. 41, n.1, p. 30-56, 2020. Disponível em: http://revistaparadigma.online/ojs/index.php/paradigma/article/view/928. Acesso em:3 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.37618/PARADIGM.1011-2251.2020.p30-56.id928

BONA, A. S.; BRAVO, L.; MACIL, V.; BASSO, M. V. A. Aprendendo matemática na rede social facebook por ações cooperativas. ScientiaTec: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia do IFRS-Campus Porto Alegre, Porto Alegre, v.1 n.1, p. 3-16, jan./jun. 2014. Disponível em: https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/ScientiaTec/article/view/1420/0#:~:text=Este%20tem%20o%20objetivo%20de,colaborativo%20com%20a%20professora%20de. Acesso em: 3 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.35819/scientiatec.v1i1.1420

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 2 fev. 2021.

CAREGNATTO, D.; JUSTO, J. C. R. Conceitos matemáticos possíveis e necessários em classes de Alfabetização: um estudo através do Facebook. In: XIV Conferencia Interamerica de Educación Matemática. Anais do XIV CIAEM, Chiapas, México, 2015. Disponível em: http://xiv.ciaem-redumate.org/index.php/xiv_ciaem/xiv_ciaem/paper/viewFile/1468/590. Acesso em: 10 jun. 2020.

COSTA, A. M. S. N.; FERREIRA, A. L. A. Novas possibilidades metodológicas para o ensino-aprendizagem mediados pelas redes sociais Twitter e Facebook. REnCiMa, [S.L.], v.3, n.2, p.136–147, 2012. Disponível em: http://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/494/413. Acesso em: 11 jun. 2020. DOI: https://doi.org/10.26843/rencima.v3i2.494

FERREIRA, L. A. CRUZ, B. D. da S; ALVES, A. de O; LIMA, I. P. de. Ensino de matemática e COVID-19: práticas docentes durante o ensino remoto. Em Teia: Revista de Educação Matemática e Tecnológica Iberoamericana, [S.L.], v. 11, n. 2, p. 1-15, nov. 2020. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/emteia/article/view/247850/pdf. Acesso em: 10 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.36397/emteia.v11i2.247850

FREITAS, S. M. B. Aprendizagem cooperativa e colaborativa em matemática no espaço facebook. 2013. 95 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade da Madeira. Funchal, Portugal, 2013, Disponível em: https://digituma.uma.pt/bitstream/10400.13/1172/1/MestradoS%c3%adlvioFreitas.pdf. Acesso em: 10 abr. 2020.

FUMIAN, A. M; RODRIGUES, D. C. G. A. O facebook enquanto plataforma de ensino. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, [S.l.], v.6, n. 2, p. 173-182, 2013. Disponível em: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbect/article/view/1635/1042. Acesso em: 10 abr. 2020. DOI: 10.3895/S1982-873X2013000200011

GOMES, A. S.; CARVALHO, R. S.; MELO FILHO, I. J. de; ROLIM, A. L de S.; MONTEIRO, B. de S.; OLIVEIRA, G. R. S. de. Amadeus: o Modelo de Sistema de Gestão de Aprendizagem. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância, [S.l.], v. 8, n. 1, p.1-17, 2009. Disponível em: http://seer.abed.net.br/index.php/RBAAD/article/view/216/94. Acesso em: 17 abr. 2020. DOI: https://doi.org/10.17143/rbaad.v8i0.216

GROSSI, M. G. R.; MURTA, F. C.; SILVA, M. D. A Aplicabilidade das Ferramentas Digitais da Web 2.0 no Processo de Ensino e Aprendizagem. Contexto e Educação, [S.l.], v.33, n. 104, p. 34-59, fev. 2018. Disponível em: https://www.revistas.unijui.edu.br/index.php/contextoeducacao/article/view/5954. Acesso em: 20 fev. 2020. DOI: https://doi.org/10.21527/2179-1309.2018.104.34-59

QUINTANILHA, L. F.. Inovação pedagógica universitária mediada pelo Facebook e YouTube: uma experiência de ensino-aprendizagem direcionado à geração-z. Educar em Revista, [S.L.], n. 65, p. 249-263, jul./set. 2017. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.50027. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/er/n65/0104-4060-er-65-00249.pdf. Acesso em: 20 fev. 2020. https://doi.org/10.1590/0104-4060.50027

MILLIGAN, C. The role of virtual learning environments in the online delivery of starff in the online delivery of staff development. oct. 1999. Disponível em: http://www.icbl.hw.ac.uk/jtap-573/573r2.pdf. Acesso em: 20 fev. 2020

PATRÍCIO, M. R.; GONÇALVES, V. Facebook: rede social educativa? In: I Encontro Internacional TIC e Educação. Lisboa: Universidade de Lisboa, Instituto de Educação. p. 593-598. 2010. Disponível em: https://bibliotecadigital.ipb.pt/hand-le/10198/2879. Acesso em: 10 jun. 2020.

PAULO, R. M.; FERREIRA, M. J. A.. Comunicação no Ciberespaço: diálogos acerca de matemática. Revemat: Revista Eletrônica de Educação Matemática, [S.L.], v. 11, p. 256-267, 25 jan. 2017. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Disponível em : https://periodicos.ufsc.br/index.php/revemat/article/view/1981-1322.2016v11nespp256/33450 Acesso em: 10 jun 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.5007/1981-1322.2016v11nespp256.

SADALA, M. L. A; BICUDO, M. A. V.; STEFANELLI, M. C. O cuidar que é educar: o olhar fenomenológico. In: CAPPELLETTI, I. F.; LIMA, L. A. N. (Org.). Formação de educadores: pesquisas e estudos qualitativos. São Paulo: Olho D'Água, 1999. p. 2-127.

SANTOS, D. S. Jogo digital na alfabetização matemática: contribuição para caminhos didático-metodológicos. 2020. 177f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Formação Científica, Educacional e Tecnológica. Curitiba, PR, 2020.

SCHMITT, V.; DIAS, M. R. Á. C. Ambientes virtuais de aprendizagem. In: PEREIRA, A. T. C. Ambientes virtuais de aprendizagem: em diferentes contextos. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2007, p. 2-22. Disponível em: http://feuab.unb.br/file.php/19/material_didatico/Ambientes_virtuais_de_ aprendizagem.pdf. Acesso em: 08 de Set de 2019.

SILVA, A. R. S. da.; FRANÇA, V. da C.; FREITAS, J. C. T. de.; QUINTELA, A. C. S. de M.. O Uso do Instagram como Estratégia Educacional num Contexto de Pandemia: um relato de experiência. Ead em Foco: Revista Científica em Educação a Distância, [S.L.], v. 3, n. 1, p. 1-16, nov. 2020. Disponível em: https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/1309/623 Acesso em: 10 mar. 2022. DOI: https://doi.org/10.18264/eadf.v10i3.1309

TORI, R. Educação sem distância: as tecnologias interativas na redução de distâncias em ensino e aprendizagem. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2010.

TSUKAMOTO, N. M. S.; FIALHO, N. N.; TORRES, P. L. A face educacional do facebook. In: XI Congresso Nacional de Educação. Anais do XI EDUCARE. 2013. p. 3718-3731. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/CD2013/pdf/9531_4949.pdf. Acesso em: 10 jun. 2020.

Publicado
2022-07-02
Métricas
  • Visualizaciones del Artículo 26
  • PDF downloads: 19
Cómo citar
Batista, J. de O., de Sousa Silva dos Santos, D., Paulo Pereira, E., & Ferreira Mocrosky, L. (2022). POSIBILIDADES DE FACEBOOK COMO ENTORNO VIRTUAL DE APRENDIZAJE PARA LA ENSEÑANZA DE LAS MATEMÁTICAS. PARADIGMA, 43(2), 285-313. https://doi.org/10.37618/PARADIGMA.1011-2251.2022.p285-313.id1061
Sección
Artículos