Análise das questões sobre probabilidade no Exame Nacional do Ensino Médio no Brasil de 2013 a 2019

Palabras clave: Probabilidade, Exame Nacional do Ensino Médio, Organização Praxiológica

Resumen

Neste artigo discutimos o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), que avalia o desempenho escolar ao final da educação básica brasileira, frente a conteúdos probabilísticos que foram avaliados nas versões aplicadas de 2013 a 2019. A pesquisa qualitativa documental analisou documentos oficiais que regem a educação básica brasileira, com o objetivo de identificar quais conhecimentos probabilísticos são requeridos nessa fase do ensino. Entre os resultados identificados, destacamos que as organizações praxiológicas permitem reconhecer alguns dos elementos cognitivos do modelo de letramento probabilístico, assim como foi possível estabelecer um crescente na complexidade dos contextos e formulações dos enunciados. As praxiologias identificadas também permitem observar a complexificação das tarefas ao longo do intervalo de tempo analisado, assim como perceber as mudanças advindas da implementação da Base Nacional Comum Curricular que rege o currículo brasileiro atualmente.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Cileda de Queiroz e Silva Coutinho, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP)
Professora de Didática da Matemática e Estatística (PUC-SP). Mestre em Educação Matemática (PUC-SP). Doutora em Didática da Matemática (Université Joseph Fourier – Grenoble I). Assistente Doutor no Programa de Estudos Pós-graduados em Educação Matemática (PUC-SP). Membro do grupo de pesquisa PEA-MAT. Membro do Grupo de Trabalho GT12 – Educação Estatística da Sociedade brasileira de Educação Matemática. Linha de investigação: Matemática na estrutura curricular e formação de professores.  E-mail: cileda@pucsp.br.
Auriluci de Carvalho Figueiredo, Universidade Metropolitana de Santos (UNIMES)
Professora de Matemática e Estatística (UNIMES). Mestre em Educação Matemática (PUC-SP). Doutora em Educação Matemática (PUC-SP). Acadêmica do Núcleo de Educação à Distância e presencial da Universidade Metropolitana de Santos. Estágio de pós doutoramento pela PUC-SP em andamento. Membro do Grupo de Trabalho GT12 – Educação Estatística da Sociedade brasileira de Educação Matemática. Membro do grupo de pesquisa PEA-MAT. Linha de Investigação: Didática da Matemática e Estatística; formação de professores. E-mail: aurilucy@uol.com.br.

Citas

Almouloud, S. (2007). Fundamentos da didática da matemática. Curitiba: UFPR.
Chevallard, Y. (1999). L’analyse des pratiques enseignantes en théorie anthropologique du didactique. Recherches en Didactique des Mathématiques, 19(2), 221-265.
Fiorentini, D., & Lorenzato, S. (2009). Investigação em educação matemática: percursos teóricos e metodológicos (3.ª ed.). Campinas: Editores Associados.
Falk, H. (1986). Conditional probabilities: insights and difficulties. In: International Conference on Teaching Statistics, 2, 1986, Victoria. Proceedings of ICOTS2 Victoria: University of Victoria, 292-297.
Gal, I. (2005). Towards “probability literacy” for all citizens: building blocks and instructional dilemmas. En G. A. Jones (ed.), Exploring probability in school: challenges for teaching and learning (pp. 39-63). Boston, MA: Springer.
Gascón, J. (2003). La necesidad de utilizar modelos en didáctica de las matemáticas., 5(2), 11-37).
Goulart, A. (2015). Um estudo sobre a abordagem dos conteúdos estatísticos em cursos de licenciatura em matemática: uma proposta sob a ótica da ecologia do didático. Tese de doutorado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.
Hollas, J., & Bernardi, L. T. M. S. O. (2019). Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e as competências para uma educação estatística crítica. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação 28(106),110-134. https://doi.org/10.1590/s0104-40362019002701489.
Lecoutre M-P. (1985). Effet d’informations de nature combinatoire et de nature fréquentielle sur les jugements probabilistes. Recherches en Didactiques des Mathématiques, 6(2-3), 193-213.
Ministério da Educação e do Desporto (1997). Parâmetros curriculares nacionais. Brasília: Ministério da Educação e do Desporto.
Ministério da Educação e do Desporto (1998). Parâmetros curriculares nacionais. Brasília: Ministério da Educação e do Desporto.
Ministério da Educação e do Desporto (2000). Parâmetros curriculares nacionais, ensino médio: ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: Ministério da Educação e do Desporto.
Ministério da Educação e do Desporto (2002). Parâmetros curriculares nacionais, ensino médio +: ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: Ministério da Educação e do Desporto.
Ministério da Educação e do Desporto (2006). Orientações curriculares para o ensino médio: ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: Ministério da Educação e do Desporto.
Ministério da Educação e do Desporto (2009). Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Portaria INEP n. 109 de 27/05/2009: Estabelece a sistemática para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio no exercício de 2009.
Ministério da Educação e do Desporto (2018a). Base nacional comum curricular: BNCC. Brasília: MEC.
Ministério da Educação e do Desporto (2018b). Relatório-síntese de área matemática 2017 (bacharelado/licenciatura). Brasília: Ministério da Educação.
OECD (2019). PISA 2018 Assessment and Analytical Framework. PISA, París: OECD https://doi.org/10.1787/b25efab8-en.
Pontes, J. C. & Nuñes, I. B. (2019). Questões de estatística e probabilidade nas provas do ENEM: uma aproximação a erros e dificuldades de aprendizagem. Educação Matemática Debate. v. 3(7), 87-110. https://doi.org/10.24116/emd.v3n7a05.
Pereira, F.A., & Souza, F.S.S. (2016). O Exame nacional do ensino médio e a construção do letramento e pensamento estatístico. Educaçao Matematica Pesquisa, 18(3), 1319-1343.
Rodrigues, M. R. (2018). Estudo sobre as concepções de professores do ensino básico em relação à aleatoriedade e probabilidade. Tese de doutorado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.
Serra, D. S. (2015). A contribuição da prova de matematica do ENEM para o Ensino de Probabilidade e Estatística. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.
Viali, L., & Silva, M. M. (2010). O ensino de estatística e probabilidade nos cursos de licenciatura em matemática. Anais do XVIII Simpósio Nacional de Probabilidade e Estatística (pp. 1-7). São Pedro: Sinape. Sociedade Brasileira de Estatística.
Publicado
2021-02-22
Métricas
  • Visualizaciones del Artículo 32
  • PDF downloads: 51
Cómo citar
de Queiroz e Silva Coutinho, C., & de Carvalho Figueiredo, A. (2021). Análise das questões sobre probabilidade no Exame Nacional do Ensino Médio no Brasil de 2013 a 2019. PARADIGMA, 41(e1), 313-341. https://doi.org/10.37618/PARADIGMA.1011-2251.2021.p313-341.id1027